Pular para o conteúdo principal

Preço da Qualidade

Tenho passado mais tempo em casa nos últimos três meses. Nesse tempo tenho provado experiências diversas e claro dentro disso tenho me aproximado dos deveres domésticos.

Comentei com minha mãe que a vassoura que estava usando era totalmente imprópria.

Meu feeling de designer entrou em ação e descrevi para ela como seria a vassoura ideal.

A “cabeça” da vassoura deveria ter uma inclinação e as cerdas deveriam ser flexíveis, claro que a minha opinião foi entendida como desculpa de quem não quer varrer a casa (reação normal de adolescente apesar da minha idade rs rs rs rs).

Depois disso não toquei mais no assunto até que surgiu a necessidade de fazer compras, lembrei minha mãe de que precisávamos de uma vassoura melhor.

A solicitação foi feita, mas não fui atendida. A razão? As vassouras com as características que descrevi eram muito mais caras do que as comuns.

Resumindo.

Fiquei no pé até conseguir uma vassoura boa. Cara, mas de qualidade.

Essa pequena história parece ser imprópria para este blog, mas não leve a mal.

Você já parou para pensar no preço da qualidade?

Dizem que tudo que é caro é melhor. Não concordo. Mas, devo admitir que todo produto de qualidade tem o seu preço diferenciado.

Onde estão os diferenciais?

Voltando a história da vassoura: por trás do preço tem o estudo de material, o estudo do desenho o estudo do processo de fabricação, marketing e outros. Atrás de cada estudo existe um profissional. Atrás de cada profissional há uma despesa da empresa e poderia citar tantas outras razões que influenciam no preço final do produto.

Aí você questiona: As vassouras comuns não tiveram o mesmo procedimento?

Certamente não ou não seriam comuns. São resultados da utilização de materiais inferiores, mão de obra menos qualificada e outros procedimentos que permitiram a redução de despesa de fabricação.

Imagine as estradas do Brasil.

Quais delas são melhores para viajar?

Certamente as estradas pedagiadas. São mais iluminadas, sinalizadas e asfaltadas e por isso oferecem maior segurança aos usuários. Porém todos que optam por viajar por estas estradas são consciente que de tempo em tempo deverão pagar um pedágio.

É o preço da qualidade.

Todos nós gostamos de qualidade, mas nem todos nós estamos dispostos a pagar pelo preço.

É assim também na área espiritual.

Todos nós queremos ser cheios de poder de Deus, ter dons espirituais, ter um ministério como o de Paulo e Pedro... Poderia citar muito mais exemplos daquilo que nós almejamos, mas a lista ficaria muito extensa.

Temos avaliado o processo?

Qualidade é resultado de algo mais. Algum procedimento a mais do que o comum.

Visando o resultado, onde temos parado?

Espero que esta reflexão possa lhe servir de ajuda e que resulte em maior qualidade em todas as áreas de sua vida.

Comentários

É Daphnne vejo que ficar em casa tem lá suas vantagens...
Realmente focamos somente o produto final e nos esquecemos, na maior parte do tempo, do processo para tal resultado...
É este processo que com certeza muda tudo... Na EBB tenho conversado muito com meus alunos sobre estes aspectos.
Valeu... sua inspiração nos prova mais uma vez, que se quisermos um produto final de maior qualidade, teremos que pagar um preço diferenciado com certeza, pois de "coisas comuns" não requerem tanto em preendimento.
Bjs garota.
Anônimo disse…
Muito apropriada esta mensagem, reflete muito bem o retrato de nossa espiritualidade..vc realmente vê longe. Parabéns!!

Sabrina - Goianira/GO
Anônimo disse…
Oi Daphnne a paz do Senhor
só quero te dar meus parabéns isto é bem apropriado em varias areas, de nossas vidas.

Postagens mais visitadas deste blog

O que aprendo com a gazela?

Convidada para pregar no culto de encerramento das atividades (2013) do grupo Dorcas (grupo de mulheres da AIDB-Uberlândia), me senti motivada a estudar a história desta personagem bíblica que inspirou o nome do grupo. Quem foi Dorcas? O que seu nome significa? Quais seus valores? Porque sua história motiva outras mulheres que trabalham na obra do Senhor?
O nome apresentado na história bíblica é Tabita e sua história é apresentada no contexto de sua morte. Estranho, não?
A narrativa se encontra no livro de Atos, cap.9 à partir do verso 36. E assim começa a descrição dos fatos: “E havia em Jope uma discípula chamada Tabita, que traduzido se diz Dorcas. Esta estava cheia de boas obras e esmolas que fazia. E aconteceu naqueles dias que, enfermando ela, morreu; e, tendo-a lavado, a depositaram num quarto alto”.
Para um “leitor dinâmico” estes dois versos resume toda a história. A mulher existiu, era uma mulher de boas obras, ficou doente e morreu (ponto!). Porém estes dois versos mostram ape…

Encontre a resposta!

Palavras e imagens sempre foram objetos da minha curiosidade. Talvez esta seja a razão porque gosto de fazer palavras cruzadas, montar quebra-cabeça e resolver exercícios de lógica.  Recentemente me vi num entrave com um exercício de lógica. Quatro imagens propunham uma palavra com seis letras. A primeira imagem era de um ovo, a segunda de um bolo de aniversário, a terceira de um cachorro e a última de uma prateleira de sapatos. Fiquei por muito tempo tentando achar a lógica daquele exercício. O que tem em comum um ovo, um bolo, um cachorro e sapatos?  Tentei várias palavras e nada. Deixei o exercício de lado por algumas vezes na esperança de voltar com uma solução. ‘Quebrei a cabeça’ com aquele enigma. Estava procurando uma ligação das imagens até perceber que a lógica estava na cor e não nas imagens em si. Mudei o foco para a cor e facilmente preenchi os espaços com as letras. Interessante como fixamos os olhos no problema e deixamos de perceber a solução bem diante dos nossos olhos. Nã…

Falando sobre "Lagar"

O que Gideão fazia no lagar? Se sua resposta foi diferente de "malhando trigo" acho que não está familiarizado com a história deste homem, pois, era exatamente isso que ele estava fazendo. Mas... para que serve um lagar? Afinal de contas... onde é que se malha o trigo? Bem, não me incomodo se essas perguntas nunca lhe passaram pela cabeça. Porém, desde minha última postagem no blog tenho meditado sobre essa passagem bíblica. O lugar correto para se malhar trigo chama-se Eira que segundo o dicionário quer dizer: extensão de terreno limpo e batido, ou lajeado, onde se secam, malham, trilham e limpam cereais e legumes; Sabe porque Gideão preferiu malhar o trigo num lagar? Ele não estava disposto a perder o seu sustento para os Midianitas. Por algum tempo os midianitas consumiam todo o alimento produzido pelos israelitas. Não somente as suas plantações eram destruídas mas também o seu rebanho. Muito bem, vamos voltar ao lagar... Segundo o dicionário lagar é: tanque onde se espremem ou p…