domingo, 1 de junho de 2008

Um olhar em busca de sustentação

Meus amigos tenho que pedir perdão mais uma vez pela demora. Confesso que me dá saudade de ouvir e ler os comentários que surgem das postagens deste blog.
Quero hoje trazer a memória a mensagem que escrevi sobre ônibus e das coisas que acontecem dentro dele. Você se lembra? (12/10/2007)
Então... Tenho utilizado este meio de transporte todos os dias e cada vez que entro dentro do ônibus penso que ali dentro tem assunto para muitas outras crônicas.
Fico a questionar sobre o que as mulheres levam em suas bolsas tão grandes e espaçosas num corredor tão apertado e concorrido do ônibus? (eu não tenho o habito de usar bolsas).
Porque tantas pessoas negam dizer um bom dia ou boa tarde quando poderiam dar uma contribuição mínima para um dia melhor?
Mas, na verdade o que mais tenho meditado no meu trajeto dentro do ônibus é sobre segurança.
Sou de baixa estatura e como passageira a primeira coisa que faço após passar a roleta é procurar um espaço livre no balaústre do ônibus a fim de garantir minha segurança, fico encrencada quando tem uma lotação e não percebo um lugar para me segurar porque sei que virão os trancos... isso é certo!
Sai o ônibus vêm os quebra-molas e semáforos os trancos e balanços e se estou segurando no balaústre estou “segura”.
Até o momento sou dependente deste meio de transporte, meu pai não vai me levar todos os dias de carro para o meu serviço. Não vou conseguir carona todos os dias. É inevitável! Vou ter que usar o ônibus por muitas vezes ainda e certamente estarei de olho no balaústre como uma esperança da minha segurança.
Da mesma maneira eu olho para Cristo. Ele é meu lugar seguro. Sei que terei que enfrentar sozinha muitas situações, mas creio que firmada nEle chegarei em paz no meu destino.
Meus amigos todos nós precisamos de segurança, pois assim como os trancos que enfrentamos dentro do ônibus também enfrentaremos situações adversas na vida. Somente os que estão firmes em Cristo Jesus autor e consumador da fé poderão resistir.
A rainha Ester dependia de um cetro estendido em sua direção como garantia de vida. Ela entrou na sala do rei olhando para o cetro. Qual foi sua alegria e confirmação da sua esperança em vê-lo estendido em sua direção. Estendido o cetro ela se apoiou nele e viveu.
Se você sente dificuldade no percurso da vida, talvez seja o melhor momento de firmar sua esperança e decidir por apoiar-se em Cristo Jesus. Confie nEle e siga seguro!