quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Enérgica / Paciente

Numa dinâmica de grupo fui questionada sobre as pessoas que mais admiro. Deveria ressaltar uma de suas qualidades que mais apreciasse. Respondi que admiro meus pais, minha mãe por ser uma mulher enérgica e meu pai por ser um homem paciente.
Num primeiro momento a turma riu da minha resposta. Parecia que estava descrevendo uma ‘equação de equilíbrio’. 
Tenho observado meus pais ao longo dos anos e diante das mais variadas circunstancias e percebo que estas qualidades fazem muita diferença na vida da minha família, igreja e no convívio social.
Acho que meu DNA sofreu um ‘tilt’ com este equilíbrio. Não sou tão enérgica como minha mãe nem tão paciente como meu pai. Tá bom! Vou corrigir isto aqui. Eu não sou paciente. (Talvez isso signifique que sou mais enérgica) Enfim...
Por muitos anos ouvi o salmo 40 e 70 serem inseridos em ‘anedotas gospel’ ou como um ‘bullying contra o solteiro’ como diria o pr. Nelson Junior do movimento “Eu escolhi esperar”. No primeiro salmo as palavras iniciais do salmista são: “Esperei com paciência no SENHOR” e já no segundo salmo as palavras iniciais são: “Apressa-te, ó Deus”. 
Há uma mudança nas palavras do salmista que podem destacar as qualidades já antes referidas. Num primeiro momento o salmista está paciente, confiante, com a esperança nova, no segundo momento nem tanto. Ele está inquieto esperando uma reação do Senhor ao seu clamor. 
Muitas vezes questionada sobre o meu futuro respondi que estava esperando no Senhor. Com o passar do tempo observei que acrescentei na minha fala uma pitada de impaciência. Eu comecei a dizer: Eu estou esperando no Senhor, com impaciência, mas esperando.
Foi então que a poucos dias, depois de orar e sentir forte a presença de Deus em minha vida que percebi o erro que estava cometendo. 
Ora, se vale a espera, então, que seja com paciência. 
A bíblia nos ensina a respeito da paciência. (Hb 6:15; Rm 5:4; Tg 5:7; Tg 1:3; Ap.14:12 etc)
É desafiador! Eu sei. É uma luta interior constante. Porém, se conhecemos o caráter de Deus e confiamos em sua vontade diretiva, vale sim toda a espera. 
Ah sim, ele pode operar em nós sua vontade permissiva para aplacar nossa impaciência, mas não significa que teremos bons resultados. 
Então se é desafiador ser paciente, se quero em minha vida que a vontade diretiva dEle se cumpra se quero viver o melhor de Deus... Eu topo!
Terei que lutar contra minha impaciência, submeter as minhas vontades ao plano maior que Ele tem para mim e esperar, esperar e esperar até que Ele diga: Ok! Chegou a sua vez! 
Será maravilhoso quando este dia chegar e verei o quanto valeu toda a espera!