quinta-feira, 2 de junho de 2011

Bon Voyage!

Fazemos diversas comparações na intenção de compreender idéias semelhantes e usualmente recorremos a ‘viagens’ para falar de vida.
É uma boa comparação e nos leva a questões como: objetivos, planejamento, referências, intenções e claro, bagagem.
Não é comum sairmos de casa para uma viagem sem estabelecer estas coisas. Qual o objetivo da viagem? Para onde desejamos ir? Qual será o nosso trajeto? De que maneira faremos a viagem? Com que tipo de transporte? Com quem iremos? Quais são os pontos de referência? A que sinalizações precisamos nos atentar? Qual o tempo ficaremos fora? E... O que levaremos na bagagem?
Essas perguntas podem ser aplicadas à vida em todo o tempo.
-  Se não temos a compreensão de nossos objetivos não sairemos do lugar.
- Somos expostos a vários caminhos, muitos deles são atalhos. Compreendendo nossos objetivos poderemos seguir sem distrações, ainda que seja de difícil acesso nos levará ao destino.
- Alguns optam por serem conduzidos, outros optam por conduzir. Existe uma grande diferença.Na condição de condutores temos que nos certificar que nada atrapalhe nossa visão. Precisamos estar em boas condições físicas e mentais para seguir nossa viagem e para isso precisaremos ora abrir mão de alguma coisa ora não abrir mão de outras coisas.
- Nada é tão frustrante para um viajante do que não ter referências. Saber o destino é importante e as referências nos posicionam quanto ao caminho. Elas nos ajudarão compreender se estamos atingindo os nossos objetivos.
- As vias por onde trafegamos dão indicações importantes. Precisamos nos atentar para o que elas estão indicando. É ruim ser pego de surpresa. Curvas sinuosas podem estar logo à frente.
- Viajar acompanhado é muitas vezes melhor que sozinho. Mas, alguns conseguem fazer a viagem ser um verdadeiro martírio. Quem você vai levar consigo? A companhia é importante, se não fosse talvez nunca teríamos o conhecimento daquele ditado: “Antes só que mal acompanhado”. Não tem que ser assim, só precisamos saber escolher nossas companhias.
- “O tempo é ouro” e claro ninguém é tolo de jogar ouro aos porcos. Nossa viagem sempre demanda tempo e precisamos saber aproveitá-lo.
- Finalmente, não se sai para uma viagem sem uma bagagem. O que vamos colocar nela? O que precisaremos usar? O que se tornará peso e nos impedirá de aproveitar 100% nossa viagem? Já dizia certo autor: “precisamos aliviar a bagagem”. Alguém discorda?
Que tal tirar um tempo para pensar no que este texto nos diz?
Enfim teremos uma pergunta para responder: O que mais gostamos na viagem?
A resposta pode ser muito positiva se todos esses aspectos forem observados.
Então: Bon Voyage!

terça-feira, 31 de maio de 2011

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Tome Posse Do que é Seu!

Recentemente ouvi uma conversa de mulheres que girava em torno do assunto: dinheiro; mais especificamente sobre: achar dinheiro.
O ambiente estava descontraído. Algumas contaram suas experiências e a satisfação que o ocorrido lhes trouxera. Também me lembrei de ocasiões semelhantes que eu mesma pude experimentar.
É bem possível que você também tenha passado por isso. É sempre bom achar coisas boas. Não é?
Porém o mais interessante naquela conversa era o fato de achar o próprio dinheiro.
Estive pensando sobre o assunto, quando mais uma vez aconteceu comigo.
Encontrei um dinheiro esquecido em um bolso. Veio num bom momento! Que alegria!
Havia reservado um livro e finalmente com aquele “achado” pude concluir minha compra. Um bom investimento por sinal.
Engraçado que tudo isso fez com que eu refletisse um pouco sobre o perdão de Deus.
(sei que soa estranho, mas...)
Todos nós pecamos, (não é difícil entender isso) e por essa razão fomos destituídos da glória de Deus. Apesar disso Deus enviou seu filho unigênito para que todo aquele que nele crê não pereça mas tenha a vida eterna.
Ele veio por todos. Ele deu a sua vida e perdão para todos.
Porém não são todos os que têm “tomado posse” do seu perdão.
Assim como o dinheiro era próprio porém estava esquecido, assim também o perdão de Deus já é nosso mas alguns o têm ignorado.
A palavra de Deus é muito clara sobre esse fato. Não são todos que herdarão a vida eterna, embora o perdão tenha sido liberado a todos. Só os que crêem serão salvos. Só os que tomam posse do perdão.
E... a “posse” do perdão só acontece através do arrependimento.
O que é melhor? Tomar posse de um dinheiro esquecido em algum canto da casa (isso é muito bom mas logo se acaba) ou do perdão de Deus?
Espero que essa simples reflexão possa te ajudar a chegar mais perto de Deus e viver debaixo da sua graça.

Boa Semana!

“Quase todo homem é capaz de suportar a adversidade, mas, se você quiser testar-lhe o caráter, dê-lhe poder”. Abraham Lincoln