quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

De Olho na Moda

Não sou do tipo de pessoa que segue as tendências da moda, mas não significa que seja alheia a esse contexto. Posso até dizer que entendo um pouco do assunto, mesmo que isso soe estranho a muitos ouvidos.

Sou estilista*. Uau! Que revelação hein?!

Estilismo envolve design. Isso explica?

Não se preocupe, não represento risco à sociedade; não exerço a profissão – a não ser por alguns corajosos que me procuram (risos).

Ok! Chega de enrrolação. Vou direto ao assunto.

Tenho desenvolvido a “arte da observação” e confesso que o comportamento da sociedade em relação à moda me chama a atenção.

Gostaria de compartilhar com você alguns pensamentos a esse respeito.

Não sigo as tendências por algumas razões e uma delas é questão de personalidade.

John C. Maxwell escreveu “A maneira como você se veste comunica quem você é.” Concordo com ele e sendo verdadeira essa afirmação temos um problema, então. Qual é a personalidade que estou apresentando quando me visto segundo as tendências da moda? Quem são as pessoas que as desenvolvem? O que buscam valorizar? Quais os conceitos trabalhados para chegar às tendências?

Vestir na moda a meu ver é renunciar à personalidade, ou seja, abrir mão da qualidade que o diferencia do outro e o faz ser exclusivo. A moda tende a equiparar os indivíduos. (Logicamente essa minha observação não generaliza os fatos. Faço referencia àquelas pessoas que são completamente dependentes das tendências da moda e julgam os outros por esta perspectiva).

Logo o que é comunicado na maneira como a sociedade, adepta das tendências, se veste é reflexo da personalidade dos profissionais da moda e não de si mesma.

Não é isso que quero comunicar na minha maneira de vestir. E quanto a você?

O assunto rende e ainda poderia dizer de outros aspectos, mas entendo que ocuparia mais o seu tempo.

Acho importante refletir sobre esse assunto quando a maneira como nos vestimos comunica quem somos nossas crenças e nossa identidade.

Pense nisso!

*Curso de Estilismo promovido pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, através da Divisão do Trabalho, de Uberlândia. Ano 2003.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Em Busca de Renovo

Pela manhã comecei a caminhar.

Havia lido uma palavra do profeta e queria alcançar a compreensão daquelas palavras. Que seria aquilo?

Busquei forças para chegar a um lugar alto. Estava cansada. A caminhada era difícil mas precisava entender

aquelas palavras.

Caminhei sem olhar para os lados até que cheguei num lugar de onde não podia mais prosseguir.

Sentei e fixei os olhos no horizonte.

Avistei ali bem a minha frente uma ave. Seu aspecto era estranho. Não tinha beleza. Suas penas não tinham brilho.

Seu olhar pareceu pesado. Suas garras não podiam mantê-la firme. Parecia que estava como eu. Cansada. Buscando uma resposta.

Enquanto eu tentava decifrá-la tentou abrir suas asas. Da primeira vez não conseguiu. Segunda vez também não. Porém para meu espanto na terceira vez a ave bateu firme as suas asas e voou. Voou alto de maneira firme e determinada.

Foi uma cena extraordinária para mim.

Fiquei ali no meu lugar e de novo as palavras do profeta veio aos meus pensamentos.

Que significaria aquilo?

Estava tão cansada que o meditar daquelas palavras me deram sono e adormeci.

Não sei precisar quanto tempo fiquei ali. Parecia ter passado os dias. Muitos dias.

No meu coração eu tive a certeza. Precisava me recompor e seguir o meu caminho. Não podia desistir. Havia caminhado tanto até aquele momento.

Tantas coisas maravilhosas pude contemplar. Tanto agir de Deus em minha vida. Tanto amor, graça e misericórdia...

Ouvi um som e despertei do meu sono pesado. O céu estava limpo. De lá descia uma ave. Era grande e formosa.

Suas asas resplandeciam um brilho. Seu vôo era firme. Suas garras novas. Que ave seria aquela?

Foi quando percebi o que havia acontecido.

As palavras do profeta fizeram sentido. Aquela era uma águia.

Ela havia se cansado assim como eu. Passou por um momento decisivo. Seu vôo repentino mostrava uma decisão.

A decisão de se renovar.

Abriu suas asas ao encontro de uma nova chance de viver. Voou ao encontro do topo. E ali se desfez de toda sua carga.

Penas velhas. Garras frágeis. Bico pesado...

Agora diante dos meus olhos mostrava que o Senhor é quem renova as forças do cansado.

Tomei fôlego e me levantei. Faria como a águia. Comecei a correr e não me cansava. Alternei a corrida para uma caminhada e não me

Fatigava.

Eis que aquelas palavras foram novas para mim e são também para ti.

"Mas os que esperam no SENHOR renovarão as forças, subirão com asas como águias; correrão, e não se cansarão; caminharão, e não se fatigarão." Isaías 40:31

domingo, 28 de novembro de 2010

"Por quê?"

Tenho notado que minhas conversas passaram a apresentar muitos pontos de interrogação...
Algumas pessoas me ajudaram a notar isso.
Fiquei feliz ao encontrar algumas explicações a esse respeito.
Peter Drucker, pai do gerenciamento moderno disse: "Meu ponto forte como consultor é ser ignorante e fazer algumas perguntas."
É incrível como podemos adquirir conhecimento quando fazemos perguntas!
Larry King, apresentador, diz que fazer perguntas é o segredo de toda boa conversa: "Sou curioso a respeito de tudo."
Lembro-me de acompanhar a fase em que meus sobrinhos só sabiam se comunicar com essa extraordinária pergunta.
Por que isso? Por que aquilo?
Na medida em que perguntavam adquiriam conhecimento a respeito das coisas que lhes despertavam o interesse.
Não é exatamente assim que acontece com todos nós?
Então, por que se irritar diante de uma interrogação(?)
Ela te dá a oportunidade de compartilhar sua sabedoria!
Não se sinta constrangido em fazer perguntas.
Elas lhe abrirão caminho para o conhecimento!