segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Falando sobre "Lagar"

O que Gideão fazia no lagar?
Se sua resposta foi diferente de "malhando trigo" acho que não está familiarizado com a história deste homem, pois, era exatamente isso que ele estava fazendo.
Mas... para que serve um lagar?
Afinal de contas... onde é que se malha o trigo?
Bem, não me incomodo se essas perguntas nunca lhe passaram pela cabeça. Porém, desde minha última postagem no blog tenho meditado sobre essa passagem bíblica.
O lugar correto para se malhar trigo chama-se Eira que segundo o dicionário quer dizer: extensão de terreno limpo e batido, ou lajeado, onde se secam, malham, trilham e limpam cereais e legumes;
Sabe porque Gideão preferiu malhar o trigo num lagar? Ele não estava disposto a perder o seu sustento para os Midianitas. Por algum tempo os midianitas consumiam todo o alimento produzido pelos israelitas. Não somente as suas plantações eram destruídas mas também o seu rebanho.
Muito bem, vamos voltar ao lagar...
Segundo o dicionário lagar é: tanque onde se espremem ou pisam certos frutos;
casa com aparelhagem própria para fazer vinho ou azeite.
Sabe o que me intriga nessa história?
Gideão estava num lugar onde se obtinha o suco da uva, o vinho! Você sabe que o vinho é a representação de alegria e festa.
Exatamente aí neste lugar onde se extraia a "alegria" e a "festa" vemos Gideão malhando o seu trigo... com um coração aflito e angustiado por causa da opressão dos midianitas ao seu povo.
Enquanto malhava seu trigo e tentava se livrar dos seus opressores Gideão teve um encontro com um anjo do Senhor.
Sabemos que o anjo veio lhe entregar uma missão e anunciar uma abundante alegria.
Durante todos estes dias que passei meditando sobre a história de Gideão me coloquei no lugar dele...
Ficamos aflitos quando somos desafiados. Juntamos nossas sementes de fé e esperança e corremos para um lagar a fim de protegermos nossos ânimos. Fugimos da eira. Não queremos ser vistos pelos "midianitas" destruidores de sonhos... devastadores de alegria.
Que bom se pelo menos nos refugiássemos num "lagar" porque na medida que fossemos malhando o nosso "trigo" e falando com Deus... sentiríamos nossos pés tocando algo líquido e finalmente com coração já aliviado poderíamos perceber que nosso lagar se encheu de vinho!
Quando o anjo do Senhor se ausentou, Gideão estava com coração tão cheio de alegria e esperança que podia ver seus inimigos derrotados.
Precisamos correr para os braços daquele que é capaz de transformar a água em vinho. Não vamos deixar a festa acabar em nosso coração e em nossa alma. Se falta "vinho"... se falta a alegria chame por Cristo Jesus. Só Ele pode tornar em alegria a sua tristeza. Só Ele pode tornar em festa o seu lamento. Ele quer lhe oferecer o vinho novo e bem melhor!