terça-feira, 24 de março de 2009

Aprendendo com um Estadista de Coração

Tenho passado algum tempo “refletindo” sobre a história de Neemias, um estadista de coração, que deixou seu cargo de confiança no reinado de Artaxexes para retornar à cidade de seus pais a fim de reconstruir os muros que estavam em ruínas.
A notícia de que aquela cidade estava desprotegida despertou o cuidado por sua gente e o interesse de restabelecer a segurança em Jerusalém.
Neemias passou algum tempo orando, jejuando e planejando. Estudou o problema. Pautou seus desafios. Traçou metas. Pediu a Deus que lhe direcionasse naquele projeto.
Ao chegar em Jerusalém Neemias enfrentou três tipos de oposição e certamente quando estabelecemos metas também as enfrentamos.
A primeira oposição foi psicológica. Ele estava apenas rodeando a cidade e analisando a situação quando Sambalate e Tobias perceberam sua intenção. Começaram então a questioná-lo e insultá-lo com palavras de desânimo tentando saquear um sonho que ainda estava somente no pensamento.
Nesse momento Neemias anuncia seu objetivo e ao contrario de seus opositores incentiva os moradores de Jerusalém que se juntem a ele nessa empreitada. Ele expõe o plano com ânimo e apresenta possibilidades para um povo que havia deixado adormecer sua esperança. O plano passa do pensamento para a ação.
A obra começa, o ânimo se recobra na cidade e o primeiro momento é de êxito. O plano saiu do papel vencendo a oposição psicológica.
Quantas vezes encontramos Sambalate e Tobias querendo saquear nossos pensamentos? Eles vêm com palavras... Eles vêm com zombarias... Eles vêm com dúvidas e querem de qualquer maneira impedir que o sonho parta para o plano da ação.
Não satisfeitos com essa oposição e vendo que os muros já estavam pela metade, mudam suas estratégias. Querem guerrear, espalham terror fazendo enfraquecer os que trabalham na edificação.
Diante dessa segunda oposição no âmbito da ação Neemias sabe que é preciso continuar o trabalho e se preparar para uma possível batalha. O que faz então? Prepara os homens, os incentiva a continuar, equipa com ferramentas para a edificação dos muros e também com armas para a peleja. Coloca guardas nas portas da cidade enquanto a construção continua.
A preparação e incentivo funciona ao ponto que em apenas 52 dias os muros estão reedificados e a cidade novamente protegida.
E você pergunta: O que aconteceu a Sambalate, Tobias e os outros opositores?
Eles mudaram novamente sua estratégia de oposição. Vendo que os muros estavam edificados (faltavam ainda colocar as portas), chamaram Neemias para se juntar a eles para conversar. Queriam distrair Neemias fazendo desviá-lo de seu foco. Disperso e sem um alvo seus sonhos facilmente se perdem. Enquanto a oposição tem “cara” de oposição é fácil identificá-la, não é? No entanto existe a terceira oposição, que se disfarça de posição e pode facilmente enganar. É como a maçã oferecida à Branca de Neve dos contos fantásticos. Linda por fora, mas por dentro está contaminada com veneno mortal.
Desperte o sonho que um dia te impulsionou, que fez com que você saltasse de alegria e visse possibilidade de vencer na vida.
Sempre existirá oposição, porém haverá sempre a possibilidade de vencer como foi com Neemias.
Para isso faça como esse estadista. Ore, jejue, peça a ajuda de Deus e planeje. Vença as palavras de afrontas, vença os desafios no âmbito da ação e nunca perca o alvo. Oposição será sempre oposição mesmo que se disfarce.
Ouça a mensagem que foi enviada por Neemias aos seus opositores: “Faço uma grande obra, de modo que não poderei descer; por que cessaria esta obra, enquanto eu a deixasse, e fosse ter convosco?”.
Tudo é possível ao que crê. Em Cristo podemos enfrentar todas as coisas. Nele somos mais que vencedores.

segunda-feira, 23 de março de 2009

Metas

Chegou a segunda-feira...
Pois bem, nos alegremos pelo fato de termos vida e saúde para viver cada momento com intensidade.
Se chegamos até aqui, é porque Deus tem cuidado de nós e não tem nos desamparado.
Quero compartilhar com você o que Deus tem feito.
Em janeiro deste ano assumi a liderança do grupo de jovens da igreja.
Estabeleci uma meta para um período de três meses.
Trabalhamos nesse período com visitas e reuniões de oração.
Tivemos 99% de respostas a estas visitas até ontem quando tivemos o último culto (para esse período de três meses) dirigido pelo grupo de jovens.
Fiquei bastante satisfeita com o resultado, mas faltava ainda 1% para completar a meta.
Tamanha foi minha surpresa e alegria quando ontem no culto à noite (embora não estivesse sendo dirigido pelo grupo de jovens) vimos nossa meta alcançada.
Foi uma alegria ver que todos aqueles que visitamos e por quem oramos nesse período de três meses estiveram conosco, participaram dos cultos, foram tocados por Deus e por sua palavra.
Vimos também muitas pessoas que em outro tempo estiveram conosco e que embora não tenham recebido nossa visita voltaram em nossa igreja.
O grupo também cresceu em números.
E assim posso dizer que em Deus podemos alcançar nossos objetivos. Ele realiza os desejos do nosso coração quando nos colocamos ao seu dispor. Não há maior recompensa!
Já temos uma nova meta e creio que da mesma maneira vamos alcançá-la.
E você? Já alcançou alguma meta estabelecida para o ano de 2009? Ainda falta estabelecer uma meta?
Ainda há muito para alcançar. Estabeleça metas. Confie em Deus.
Tenha uma boa semana!