segunda-feira, 2 de março de 2009

Sensações

Você já se deparou com uma paisagem pela primeira vez e teve a sensação de já ter visto em um outro momento?
(Pode ser que isso tenha feito você se aquietar e curtir aquele lugar sem medo)
Já ouviu uma canção inédita que lhe pareceu familiar?
(Acredito que você tenha classificado essa música como favorita)
Já ouviu uma frase de alguém que viu pela primeira vez e teve a certeza de que você já havia pronunciado as mesmas palavras?
(Pode ser que essa pessoa se tornou amiga e lhe transmitiu paz e alegria)
Pois bem, ontem ouvia uma mensagem que me pareceu muito familiar.
Sabe, eu creio que há um Deus e que ele é maravilhoso, amoroso e sempre presente.
Eu não tenho dúvida que ele se agrada de nos surpreender com essas “sensações” e com isso traz um alento ao nosso coração.
Quando nos sentimos afligidos e buscamos encontrar uma palavra, uma canção ou um lugar para nos refugiar, Ele nos conduz em silêncio até sermos movidos por essas sensações.
Até nos lembrarmos que em momentos de tormentas Ele está conosco.
Ele disse que nunca nos deixaria nem nos desampararia.
No momento que o mensageiro entregava sua mensagem, Deus tocava o meu coração.
Fez-me lembrar de que em momentos passados estive a meditar naquelas palavras.
Tentava entender o porque de ser amada por Deus se tenho tantos defeitos. Porque Deus escolheu a mim para sua obra?
Então, em meio a esses pensamentos a palavra de Deus me mostrava que Davi foi um homem falho. Também não era grande ou talentoso, mas foi ele que Deus elegeu para ser o primeiro rei de Israel e exatamente ele é tido na história como o homem segundo o coração de Deus.
Por isso ele se tornou infalível? Não! Deus o rejeitou quando errou? Não! Davi é uma bela visão da criatura de Deus, de coração sincero que reconhece suas falhas e limitações. Que entende que o pecado gera morte, mas que o arrependimento gera vida. Que sabe se humilhar e não tem medo de se confessar.
Que diremos então sobre a escolha de Deus quanto a Pedro? Esse era “O intelectual, sábio e corajoso” para que fosse escolhido e amado? Não! Pedro não tinha estudo, era “matuto”, de caráter vacilante, mas Deus viu nele o que ninguém podia ver, capacidade para ser um íntegro apóstolo.
E ouvindo aquela pregação me via envolvida nessas reflexões que me fizeram entender a Graça; favor imerecido. Não sou amada por Deus porque mereço, mas simplesmente porque Ele é amor. Nada e nem ninguém pode diminuir a intensidade de seu amor. Ele continuará nos amando e nos conduzindo por vales e montanhas, até que cheguemos no lugar que ele nos tem preparado.
Se ouvir o som da música saiba que nela Deus pode falar...
Se uma paisagem encantar os seus olhos Deus pode mostrar sua beleza...
Se ouvir a palavra não se disperse, a voz de Deus pode comunicar ao seu coração o que tanto procuras...

domingo, 1 de março de 2009

Atente para o sinal



Já faz algum tempo que algo me chama a atenção.
É apenas um objeto inserido na paisagem urbana, porém atrai a atenção da maioria e não somente isso, impõe respeito.
Será que estou só nessa minha “reflexão”, ou você também em algum momento de seu percurso de vida se deparou diante desse objeto e pôs-se a pensar?
Ah sim, estou me referindo ao semáforo ou se prefere, sinal ou ainda sinaleiro.
Como não obedecer aos seus sinais?
Desde o princípio de nossa alfabetização aprendemos sua importância e o significado das luzes que emite.
Se estiver verde quer dizer que posso seguir, se estiver amarelo quer dizer que é preciso reduzir a velocidade e ter atenção e se vermelho é preciso parar.
Básico, não é?
Se todos obedecem, o trânsito flui bem e não há problema algum, mas infelizmente alguns não se dispõem a obedecer. Não é assim?
Se num momento de congestionamento alguém não obedece ao sinal vermelho o que acontece?
Tragédia na certa. Que pena! Isso é totalmente evitável, o sinal está lá e todos o recebem...
Sabe que em nossa vida também temos um semáforo?
Vamos chamá-lo de intuição.
Há momentos em que percebemos a luz verde da intuição, avançamos tranqüilo em nossos afazeres. Seguimos em segurança no nosso trabalho. Nossos planos caminham bem. Na família as coisas andam bem, até que a luz se torna amarela.
Nossa intuição nos diz que precisamos nos atentar. Alguma coisa está mudando em nosso comportamento. Temos uma decisão a tomar.
Talvez o melhor a fazer seja reduzir a velocidade com que conduzimos nossas vidas.
Alguns não entendem que este sinal alerta que em breve a luz vermelha vai ascender e que por isso é necessário reduzir a velocidade para parar em segurança.
Estamos atentos aos sinais de nossa intuição? Precisamos ver uma luz vermelha para então entendermos que é definitivamente a hora de parar?
Qual o sinal que você tem em sua frente agora?
Verde? Você tem certeza que tudo vai bem e que pode seguir tranqüilo?
Amarela? Alguma coisa chama a sua atenção? É momento de tirar o pé do acelerador?
Vermelho? Hummm seja prudente! Pare! Este sinal é decisivo. Se você ultrapassá-lo pode encontrar problemas pela frente, possivelmente com conseqüências graves.
Não foi a toa que este objeto urbano foi criado. Ali estão regras a ser obedecidas para que o trânsito flua bem e quem passe por ele esteja seguro.
Da mesma maneira é a intuição.
Que sua vida siga por um caminho tranqüilo.
“Ensina-me, ó Senhor, o teu caminho, e andarei na tua verdade; unifica o meu coração para temer o teu nome”. Sl 86:11