quinta-feira, 18 de junho de 2009

Além do que os olhos podem ver

A platéia aguarda a conclusão do trabalho do artista enquanto este já aprecia sua maravilhosa obra.
O artista tem um olhar amplo por isso não se inibe com a especulação da platéia.
Para ele sua obra é bela mesmo que ainda não tenha se materializado.
Precisamos deste olhar amplo como do artista...
Deus é um grande artista. Criou com perfeição todas as coisas e soube o fim antes do começo.
Somos obras de suas mãos e constantemente estamos em aprendizado enquanto ele já sabe qual será o nosso fim.
Ele mesmo se encarregou de escrever a nossa história e nos chamou pelo nosso nome.
Hoje podemos fazer como o salmista, olhar para os montes sem saber o que está além (Salmo 121:1). Olhar em volta sem saber o que acontecerá amanhã. Fitar os nossos olhos naquilo que é possível ver.
Porém, atrás das montanhas existirá sempre um rio de águas puras. Além do hoje atribulado haverá sempre um amanhã de provisões e esperança.
Já existe! Está além do nosso olhar.
Podemos chegar a conclusão do salmista que decidiu tirar os olhos das montanhas e olhar para o artista e dizer: “ o meu socorro vem do Senhor que fez o céu e a terra. Não deixará vacilar o teu pé; aquele que te guarda não tosquenejará. Eis que não tosquenejará nem dormirá o guarda de Israel. O SENHOR é quem te guarda; o SENHOR é a tua sombra à tua direita. O sol não te molestará de dia nem a lua de noite. O SENHOR te guardará de todo o mal; guardará a tua alma. O SENHOR guardará a tua entrada e a tua saída, desde agora e para sempre”. (Salmo 121 2-8)
Decida hoje olhar além! Tenha um bom dia!

terça-feira, 16 de junho de 2009

Fruto de Uma Sábia Decisão

Boa tarde meu amigo leitor.
Gostaria de compartilhar hoje uma palavra que tocou meu coração ontem a noite enquanto fazia minha leitura da bíblia.
São 12 a quantidade de tribos de Israel. Cada uma delas têm a sua particularidade e juntas contam a história de um povo que Deus escolheu para si.
Meu olhar se voltou para Judá. Esta tribo é agraciada com muitas bênçãos de Deus. Judá recebeu a bênção de Jacó e foi desta tribo que descendeu o Cristo.
Procurei entender o porque destas bênçãos e destaque entre outras tribos. Foi então que busquei a história do nascimento deste filho de Israel.
Sabemos que Jacó se apaixonou por Raquel e por ela dedicou sete anos de sua vida e trabalho. Porém, seu sogro o enganou e no lugar de sua amada deu-lhe Lia uma mulher sem beleza de porte e formosura.
Lia se torna uma personagem desprezada nessa relação pois o amor de seu marido era de Raquel sua irmã mais jovem de postura e beleza singular.
Seu primeiro filho nasce e é chamado Rubén pois é filho de aflição. A intenção de Lia em dar um filho a Jacó era a de atrair seu esposo e a esperança de ser amada por ele o que não acontece. Seus próximos dois filhos Simeão e Levi também recebem esses nomes significando a mesma aflição. Lia esperava que por dar filhos ao seu esposo seria amada e admirada mas de novo não acontece.
Para nós brasileiros é quase impossível compreender esse tipo de casamento. Você consegue imaginar o que se passava no coração e na mente dessa mulher? Foi dada como esposa a um homem que não lhe amava e cujo amor era entregue a sua irmã.
Essa história tem uma mudança significativa a partir daí. Lia engravida novamente. Fico imaginando o que lhe aconteceu para que seu comportamento mudasse tanto.
Seu quarto filho é chamado Judá e seu nome retrata uma decisão de Lia, a de louvar ao Senhor!
Diferente das três gestações a de Judá registra o momento em que Lia aprende a louvar a Deus apesar de ser desprezada. Judá não foi filho de aflição e sim de um amor incondicional.
Lia decidiu amar Jacó mesmo que este a desprezava. Decidiu que seu filho seria bênção e não mais uma isca para o amor de seu marido. Decidiu gerar filhos porque Deus lhe havia lhe abençoado abrindo sua madre. Decidiu ser mãe. Decidiu ser serva de um Deus que ama incondicionalmente. Decidiu acreditar na bênção de sua descendência independente de qualquer coisa por isso desta vez louvou ao Senhor com seu flho Judá.
Como não se tornar uma bênção este filho de uma sábia decisão?
Seu pai o abençoou e declarou que as nações o louvariam, que sua descendência seria como filhos de leão. E hoje cantamos sobre Cristo o Leão da tribo de Judá.
Decisão!
Decida você também louvar a Deus com um amor incondicional. Vamos mudar o foco. Louvar a Deus é uma decisão. Você está disposto? Sua descendência te agradecerá!

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Convenção Nacional da AIDB - 2009

Olá amigos que acompanham este blog...
Estive este fim de semana no estado de São Paulo onde participei da Convenção Nacional da A Igreja de Deus no Brasil.
Postarei mais algumas fotos mais tarde, mas já adianto que foram dias abençoados.
Deus nos deu palavras poderosas que mexe com as nossas estruturas e com certeza são eficazes para nos transformar. (Só uma decisão!)
È sempre um grande prazer rever amigos e irmãos.
Nossos momentos juntos são inesquecíveis e nos fazem sentir saudade.
Já nos despedimos de olho em setembro quando teremos o Encontro Apostólico de Fogo e Santidade.
Nos encontraremos lá? Deus queira!