sábado, 11 de março de 2017

Uma Breve Reflexão Sobre Padrão de Beleza

Frequentemente, ao abrir alguns sites, leio manchetes como: “Fulana” é vista de cara lavada e impressiona fãs ou “Beotrana” se diz feliz com novo corpo após engordar 10 kg e ainda “Sicrana” exibe celulites em dia de praia.
Certamente as manchetes atrairão muitos para a leitura da “notícia” como se fosse algo muito fora do normal, mas qual é a importância destas manchetes? 
Cresci ouvindo questionamentos a respeito da minha aparência e do meu modo de vestir. Ouvi centenas de vezes pessoas me perguntando se a igreja me obrigava a me vestir como me visto. Para muitos a igreja me aprisiona com usos e costumes.
Fico me perguntando o que é o padrão de beleza imposto pela sociedade?
Por que uma mulher que se apresenta sem maquiagem vira notícia? 
Ou por que uma celebridade que de repente muda sua maneira de vestir para uma forma mais modesta vai parar numa seção específica de jornal?
E ainda, por que uma mulher que abandonou o corpo sarado precisa se auto afirmar, fazer um ensaio fotográfico e se justificar?
Não são usos e costumes estabelecidos pela sociedade? 
Eu uso salto alto, mas amo um tênis. Sinto-me confortável com um sapato baixo. Por que deveria me sentir mal por isto?
Não uso maquiagem nem mesmo para ir a um evento social, qual o problema disto? A imagem que verão é exatamente a minha.
Ah sim! Estou acima do peso. Não é nada saudável e eu sei disto, mas por que deveria me envergonhar da minha aparência? 
Amo o formato das minhas unhas. Não vejo nenhuma necessidade de pintá-las. 
Meus cabelos revelam o tempo com os fios brancos que insistem em aparecer. Coloração natural! Para mim é a coisa mais normal do mundo. O tempo passou e não sou mais uma menina de 15 anos. 
Não sou prisioneira de usos e costumes, embora eu busque a prática de bons costumes e tento me comportar de maneira modesta e decente. 
O autoconhecimento é muito importante e com certeza te faz livre. Deus não impõe um padrão, ele deixa claro o que lhe agrada ou não. Seu relacionamento com ele direcionará o modo como você viverá. 
Sou grata pela vida que vivo!

terça-feira, 7 de março de 2017

Pinguelas

Você sabe o que é uma pinguela?
Não vale olhar no dicionário!
Vai me dizer que nunca passou por uma?
Lembrei-me da bendita pinguela esse fim de semana.
Ainda posso ver a cena diante dos meus olhos.
Quando saíamos de férias para a casa dos meus tios numa cidade vizinha, visitávamos as fazendas ao redor para apanhar mangas, mexericas laranjas e outros frutos.
Fazíamos um caminho passando por córregos e até chegar na pinguela tudo ia bem. O problema era ver aquele tronco suspenso acima da água. Sempre diminuía meus passos.
As demais crianças passavam e eu ficava para trás.
Era uma estranha sensação de medo e euforia. O tronco parecia escorregadio e estreito demais para garantir uma passagem segura.
Ao final, dava tudo certo. Aquela pinguela realmente ficava para trás e podíamos saborear os frutos com alegria e muita diversão.
Pensei que essa pequena história seria uma boa razão para refletir.
Há muitas “pinguelas” acima de vales nessa vida.
Eles parecem intransponíveis, mas ao final acabam no passado.
Como diria a placa naquela construção do viaduto no meio da avenida: O transtorno vai passar e o benefício vai ficar.
Até lá... é preciso encarar as pinguelas que nos restam como ponte.
Tenha um ótimo dia!
_________________
Caro leitor, 

resolvi vasculhar meus arquivos de reflexões e postar novamente alguns textos. Certamente você vai ser edificado com as palavras aqui expostas mesmo que em algum momento você já as tenha lido.