quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Há Cura!

Temos a consciência da necessidade de cuidar da saúde. Porém desconheço alguém que goste de ir ao médico periodicamente. Poderia entender uma pessoa que está bem, não sente nenhuma anormalidade, cuidar do bom estado de sua saúde visitando seu médico de seis em seis meses para exames de rotina e prevenção de doenças.
Mas, por outro lado, alguém que começa a sofrer sintomas de doenças sempre reluta buscar de imediato uma resposta, esperando algum tempo para ver se os sintomas desaparecem sem que o médico seja consultado. Não é assim?
Embora não deveria, demoramos buscar o médico porque tememos o diagnostico, tememos a dor, tememos as doenças, tememos o assombro.
Ficamos cegos ao fato de que o médico tem o conhecimento para nos fornecer ajuda, remédios para alívio das dores, tratamento para a recuperação da saúde, aparelhos para correção de problemas, enfim respostas que nós não temos.
Infelizmente algumas vezes preferimos a doença a sofrer a dor da intervenção médica para a cura, concorda?
Embora o fim da vida seja a morte, queremos viver bem e com saúde e para isso somos conscientes que devemos cuidar do corpo.
Se é assim com o corpo, muito mais cuidado devemos ter com o espírito.
No capítulo 6 do livro de II Crônicas o rei Salomão ora a Deus para consagrar o templo e na sua oração ele relata circunstâncias em que o homem adquire as doenças da alma cujo fim é à morte espiritual e roga a Deus que dê a cura para os que com arrependimento buscam por ajuda.
Vemos então no capítulo seguinte do mesmo livro a resposta de Deus à oração de Salomão naquele versículo tão conhecido no meio evangélico:
“E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra.”
Alegramo-nos com o perdão de Deus para nossos pecados da mesma forma que aplaudimos o resultado de cirurgias bem sucedidas resultando em cura.
Na medicina um resultado significativo de cura (em casos graves) é resultado de intervenção cirúrgica. Porém não há conforto dentro de uma sala cirúrgica. Há presença de sangue... há presença de secreções, os órgãos ficam expostos... são necessários cortes profundos no corpo.
Também na vida espiritual para que a cura aconteça é necessário um processo que fica muito longe do conforto.
Neste livro de Crônicas quando Deus confirma a consagração do templo, ele chama o lugar de casa de sacrifício e mostra como é possível alcançar a cura. É preciso clamar pelo nome de Deus (o nome de Deus é Jesus), é preciso se humilhar (sem arrependimento não há perdão), é preciso orar (confissão), é preciso buscar a face do Senhor e converter dos maus caminhos... depois disso Deus promete o perdão dos pecados (primeiro o espírito) e a cura da terra (do corpo físico).
Pode não parecer confortável, você pode evitar esse processo esperando que os sintomas passem com o tempo, mas o tempo não apaga o erro e o salário do pecado continua sendo a morte.
Não podemos deixar que os sintomas de morte se apoderem de nós. Devemos seguir a recomendação médica; procurar ajuda antes do aparecimento de qualquer sintoma.
Como anda nosso relacionamento com o médico dos médicos Jesus?

domingo, 18 de outubro de 2009

Cheiro ou Odor?

Três meses se passaram e confesso, já havia me esquecido como é que é usar o transporte coletivo.
Não estava com saudades, mas o fato é que as férias acabaram e precisei de novo utilizar desse meio para trabalhar.
Depois que se tem carteira de habilitação e carro disponível fica difícil utilizar ônibus, concorda?
O problema não está no veículo (a frota de ônibus em Uberlândia é toda nova), mas o tempo de espera no ponto, as lotações, os cheiros – Os cheiros gente! Melhor ser verdadeira e dizer odores, né?
Havia me esquecido completamente disso.
No primeiro dia de retorno me lembrei como nosso olfato é testado dentro de um transporte coletivo, de manhã de tarde e de noite, meu Deus!
Se fosse pelo menos por causa dos perfumes adocicados das mulheres ou dos perfumes madeirados dos homens (entende?) tudo bem, não poderia reclamar, mas não é assim.
Tem aqueles odores...
Tendo essas memórias na cabeça ouvi o pregador dizendo ontem sobre o cheiro de Cristo.
E graças a Deus, que sempre nos faz triunfar em Cristo, e por meio de nós manifesta em todo o lugar a fragrância do seu conhecimento.
Porque para Deus somos o bom perfume de Cristo, nos que se salvam e nos que se perdem.
Para estes certamente cheiro de morte para morte; mas para aqueles cheiro de vida para vida. E para estas coisas quem é idôneo
?” II Coríntios 2 – 14 a 16
Claro que os odores que sentimos dentro de uma lotação são referentes ao corpo físico, mas Paulo faz referência a outros odores; o de vida e o de morte espiritual.
Qual destes cheiros temos exalado, o de vida em Cristo ou outro?
Que bom se todos os usuários do transporte exalassem cheiros agradáveis, seria muito mais fácil encarar o coletivo. Mas nem todos têm a mesma higiene.
Da mesma maneira seria bom se todos exalassem o bom perfume de Cristo e a fragrância do seu conhecimento, Já que ele derramou o seu sangue por nós para que fossemos purificados de todo o pecado e livres do cheiro de morte. Mas nem todos estão em Cristo, continuam exalando o cheiro da morte rejeitando a purificação pelo sangue e o conhecimento de quem ele é.
Eu continuo preferindo o bom perfume de Cristo e você?