segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

O que aprendo com a gazela?

Convidada para pregar no culto de encerramento das atividades (2013) do grupo Dorcas (grupo de mulheres da AIDB-Uberlândia), me senti motivada a estudar a história desta personagem bíblica que inspirou o nome do grupo. Quem foi Dorcas? O que seu nome significa? Quais seus valores? Porque sua história motiva outras mulheres que trabalham na obra do Senhor?
O nome apresentado na história bíblica é Tabita e sua história é apresentada no contexto de sua morte. Estranho, não?
A narrativa se encontra no livro de Atos, cap.9 à partir do verso 36. E assim começa a descrição dos fatos: “E havia em Jope uma discípula chamada Tabita, que traduzido se diz Dorcas. Esta estava cheia de boas obras e esmolas que fazia. E aconteceu naqueles dias que, enfermando ela, morreu; e, tendo-a lavado, a depositaram num quarto alto”.
Para um “leitor dinâmico” estes dois versos resume toda a história. A mulher existiu, era uma mulher de boas obras, ficou doente e morreu (ponto!). Porém estes dois versos mostram apenas o “fim do começo”. Ou seja, o que parece ser o fim da história é na verdade o começo de um novo tempo na vida de “Tabita”.
A história começa a me interessar mais, quando descubro o significado do nome da personagem. Primeiro se menciona o nome de origem aramaica e faz questão de apresentar o seu significado: Dorcas que por sua vez é um nome de origem grega e que significa: Gazela. O que uma gazela tem de especial para ser o significado do nome Dorcas? Ou, o que esta mulher carrega no significado do seu nome? Disponho-me a buscar mais informações.
Gazela é um animal muito interessante que tem em seus olhos e longas pernas suas principais características: visão e velocidade. Ela possui um campo de visão de 270° e com um pequeno movimento pode monitorar todos os 360° de seu ambiente. (Humanos possuem um campo de visão de quase 180° para frente). Seus olhos são tão sensíveis que ele pode captar o menor dos movimentos de seu predador. São animais extremamente velozes, podendo chegar aos 90 km/h. Pode saltar em velocidade e se desviar de obstáculos facilmente enquanto corre ganhando vantagem diante de seus predadores.
Além disso, me chama a atenção o quanto este animal pode resistir diante de um ataque de um predador, ela pode lutar pela vida durante 10 min. (Me parece muito tempo).
Com estas informações eu conheço um pouco mais Tabita. Era uma mulher de visão e caminhava bem a carreira da fé, suas obras eram conhecidas.
A visão além do sentido da vista pode significar o cuidado, a vigilância e a percepção espiritual e nossa vida é comparada com um caminho, uma carreira que nos está proposta e precisamos estar com nossos pés sadios para andar, correr e saltar se necessário.
Muitas passagens bíblicas nos manda vigiar, orar e olhar para Jesus. Uma delas está em 1Pe 5:8: “Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar;”.
Dorcas teve o seu tempo de “resistência”. Morreu, é verdade, mas pela oração de Pedro, ressuscitou. Seus olhos se abriram (v.40), sua visão foi restaurada! Ela se levantou (v.41), estava pronta para prosseguir na carreira da fé! 
Quando recobrou a vida, foi isto notório, e muitos creram no Senhor! (v.42)
Que coisa maravilhosa quando podemos ser como Tabita ou Dorcas, no sentido de ter uma boa visão e prosseguir caminhando “olhando para Jesus, autor e consumador da fé”! (Hebreus 12). Posso aprender com uma gazela!