sexta-feira, 20 de maio de 2016

? ? ?

Quantas perguntas você tem feito para Deus? Posso ousar responder afirmando que não são poucas. 
Somos assim, sempre fazemos perguntas. É normal! Faz parte do desenvolvimento humano.
As perguntas nos ajuda a adquirir conhecimento, a exercitar nossa criatividade e expandir nossos argumentos.
Um bom orador sabe fazer boas perguntas. Um bom professor sabe instigar seus alunos com perguntas bem elaboradas. Pais excepcionais sabem o poder que suas perguntas têm. Um filho sabe que pode tirar seus pais do conforto fazendo perguntas. Enfim, o ser humano sabe que esta é uma ferramenta de comunicação muito importante.
Não há problema algum com as perguntas. O problema, no entanto é quando o acumulo de perguntas nos impede de ouvir as respostas.
Jó, o personagem bíblico lembrado por muitos em tempos de crises, fez inúmeras perguntas para Deus. 
Ele é um grande exemplo para nós pela maneira como lidou com seu sofrimento. Perdeu todos os seus filhos, perdeu todos os seus bens e sua saúde em pouco tempo. Sofreu absurdo e não pecou contra Deus. 
Porém, seus muitos questionamentos quase o levaram por outro caminho.
Se você ler o livro de Jó vai poder perceber isto. São inúmeras as perguntas contidas neste livro. Os amigos de Jó questionaram a situação, a esposa de Jó questionou a situação (com toda a razão) e por fim Jó se colocou na posição de questionar a Deus. Suas perguntas tinham a ver com sua situação, depois não apenas sobre a sua situação, mas também sobre a existência humana e ele expandiu seus questionamentos até Deus intervir. 
No capítulo 38 Deus propõe uma troca. Ele diz (em minhas palavras): Ok! Jó até aqui eu ouvi suas perguntas. Agora vamos fazer o seguinte: eu te farei perguntas e você responderá!
Opa! A coisa mudou. Agora ficou complicado. Deus começa a fazer perguntas para Jó que ele não podia responder. 
Imagino Jó se contorcendo de vergonha. Quem era Jó para responder a Deus? 
No capitulo 40 Jó responde (em minhas palavras): Eu entendi o recado! Falei de coisas de que não entendia! Tapo a minha boca. Quem sou eu para questionar a Deus? Mas, Deus segue fazendo perguntas.
Então chega ao fim aquele questionamento com Jó respondendo: Bem sei eu que tudo podes, e que nenhum dos teus propósitos pode ser impedido. Jó 42:2
O que acontece quando Deus nos faz perguntas? Ele não sabe todas as respostas? Sim! Ele sabe! Porém, ele é mestre em perguntas retóricas. Ele pergunta com o proposito de nos fazer pensar a respeito, encontrar a resposta por nos mesmos, aprendermos dele. Ele se faz conhecido por meio de suas perguntas. 
Foi assim a experiência de Jó. Ao ser interrogado por Deus Jó o reconheceu ao ponto que termina dizendo: Com o ouvir dos meus ouvidos ouvi, mas agora te vêem os meus olhos. Jó 42:5
Jó conhecia a Deus por uma perspectiva e durante sua experiência ele pôde conhecer melhor quem era o Deus a quem ele servia. As perguntas foram respondidas e o relacionamento com Deus ficou mais estreito. É nesse momento em que ele se arrepende e dá a volta por cima.
Não deixe que suas muitas perguntas apaguem o poder da sua fé, permita-se ouvir a Deus e conhece-lo melhor!

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Estou Aqui!

                                                                               19.05.2016

Caro leitor eu espero que estejas bem.

Você é muito bem-vindo a este blog e também a razão pela qual ele permanece ‘no ar’. 
Pois é, desde 2007 tenho postado aqui minhas reflexões. Algumas vezes mais inspirada outras vezes mais reflexiva.

Pude experimentar muitas reações boas aos meus textos. É verdade que, antes da explosão das redes sociais, as reações eram mais frequentes. Entendo. As coisas mudam.

A razão pela qual eu escrevo hoje é para dizer que a Daphnne Reflexiva permanece por aqui, reflexiva como nunca! 

Continuarei postando meus textos e compartilhando com você meus pensamentos, num ritmo mais lento como tem sido nos últimos meses, mas mantendo a ideia original do blog.

Você continua sendo BEM-VINDO!

Daphnne