sábado, 28 de agosto de 2010

Depois de uma Derrota Pode Vir a Vitória...

Um homem fugitivo entrou numa caverna chamada Adulão.
Juntou-se a ele outros quatrocentos homens que se achavam em aperto, endividados e amargurados de espírito.
A história destes homens poderia ter terminado aí, mas, aquele fugitivo era Davi.
E Davi era um homem de espírito inquieto, dinâmico, ousado e de coragem.
Aquela caverna foi apenas uma escola. Dali saíram os "Valentes de Davi".
Uma derrota não é sinônimo de fim da linha.
Ficamos perplexos com as vitórias das grandes marcas como Nike, Mc Donalds, Xerox, Toyota...
Admiramos as conquistas de grandes personalidades da história como Isaac Newton, Thomas Edison, Winston Churchill, Dwight Eisenhower, Charles Spurgeon...
Mas os que buscam conhecer suas histórias encontrarão no passado alguma crise que despertou uma mudança ou impulsionou um pensar diferente.
Enquanto muitos estacionaram e se renderam às crises esses homens (e mulheres) não puderam paralisar seus espíritos ousados e inquietos.

"É muito melhor arriscar coisas grandiosas, alcançar triunfos e glórias, mesmo se expondo à derrota, do que formar fila com os pobres de espírito que nem gozam muito nem sofrem muito, porque vivem nessa penumbra cinzenta que não conhece vitória nem derrota." (Presidente Roosevelt)

Espero que todos tenhamos um fim de semana inspirador e vitorioso!

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Preço da Qualidade

Tenho passado mais tempo em casa nos últimos três meses. Nesse tempo tenho provado experiências diversas e claro dentro disso tenho me aproximado dos deveres domésticos.

Comentei com minha mãe que a vassoura que estava usando era totalmente imprópria.

Meu feeling de designer entrou em ação e descrevi para ela como seria a vassoura ideal.

A “cabeça” da vassoura deveria ter uma inclinação e as cerdas deveriam ser flexíveis, claro que a minha opinião foi entendida como desculpa de quem não quer varrer a casa (reação normal de adolescente apesar da minha idade rs rs rs rs).

Depois disso não toquei mais no assunto até que surgiu a necessidade de fazer compras, lembrei minha mãe de que precisávamos de uma vassoura melhor.

A solicitação foi feita, mas não fui atendida. A razão? As vassouras com as características que descrevi eram muito mais caras do que as comuns.

Resumindo.

Fiquei no pé até conseguir uma vassoura boa. Cara, mas de qualidade.

Essa pequena história parece ser imprópria para este blog, mas não leve a mal.

Você já parou para pensar no preço da qualidade?

Dizem que tudo que é caro é melhor. Não concordo. Mas, devo admitir que todo produto de qualidade tem o seu preço diferenciado.

Onde estão os diferenciais?

Voltando a história da vassoura: por trás do preço tem o estudo de material, o estudo do desenho o estudo do processo de fabricação, marketing e outros. Atrás de cada estudo existe um profissional. Atrás de cada profissional há uma despesa da empresa e poderia citar tantas outras razões que influenciam no preço final do produto.

Aí você questiona: As vassouras comuns não tiveram o mesmo procedimento?

Certamente não ou não seriam comuns. São resultados da utilização de materiais inferiores, mão de obra menos qualificada e outros procedimentos que permitiram a redução de despesa de fabricação.

Imagine as estradas do Brasil.

Quais delas são melhores para viajar?

Certamente as estradas pedagiadas. São mais iluminadas, sinalizadas e asfaltadas e por isso oferecem maior segurança aos usuários. Porém todos que optam por viajar por estas estradas são consciente que de tempo em tempo deverão pagar um pedágio.

É o preço da qualidade.

Todos nós gostamos de qualidade, mas nem todos nós estamos dispostos a pagar pelo preço.

É assim também na área espiritual.

Todos nós queremos ser cheios de poder de Deus, ter dons espirituais, ter um ministério como o de Paulo e Pedro... Poderia citar muito mais exemplos daquilo que nós almejamos, mas a lista ficaria muito extensa.

Temos avaliado o processo?

Qualidade é resultado de algo mais. Algum procedimento a mais do que o comum.

Visando o resultado, onde temos parado?

Espero que esta reflexão possa lhe servir de ajuda e que resulte em maior qualidade em todas as áreas de sua vida.

domingo, 22 de agosto de 2010

"Sr..."

Ainda não tinha uma câmera digital, mas naquela ocasião se tivesse uma com certeza não perderia a oportunidade de registrar a cena.

Parei em um sinaleiro na cidade de Curitiba e em nossa frente estava um “motoboy”. Na caixa de sua moto estava fixado um adesivo que continha em letras grandes o seguinte pedido:

“Sr. Ladrão por favor, não roube essa moto.”

Tudo bem que essa não é uma forma eficiente de evitar um roubo ou ação de um ladrão, mas venhamos e convenhamos a mensagem é sincera e bem humorada. Pode até não evitar um crime, mas vai fazer algum mau caráter se sentir valorizado por ser tratado com educação.

Hoje fiquei pensando em situações em que nos vemos desprotegidos e queremos de alguma forma expressar os sentimentos dos nossos corações.

Por exemplo: Quando ouvimos uma conversa ao nosso respeito que não condiz com a verdade. Seria eficiente escrever um pedido em letras garrafais com a seguinte mensagem:

“Sr. Fofoqueiro, por favor não fofoque sobre minha vida.”?

Até que poderia ser uma forma eficiente, não é?

Acho que em pouco prazo teríamos diversas frases espalhadas por aí...

Nunca mais vi aquela moto em meus passeios por Curitiba, mas certamente nunca me esqueci da expressão criativa do “motoboy”. Tomara que sua sinceridade tenha lhe ajudado!