Pular para o conteúdo principal

Nada convencional!

No primeiro ano de faculdade o aluno tem em sua grade curricular uma disciplina chamada Métodos e Técnicas de Pesquisa (MTP). O objetivo desta é introduzir o aluno às normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).
Não conheço ninguém que tenha gostado desta disciplina porque são 60 horas de aprendizado focado em normas: tipo de letra, tamanho, margens, citações, referências, recuos, espaçamentos e tantos outros.
Gosto muito de ver como Jesus realizou tantos milagres. Ele não padronizou sua forma de agir. Aliás, ele é Deus que age de múltiplas formas. Alguns de seus feitos nos dias atuais seriam causas de processos judiciários. A sociedade anda muito “sensível” a tanta coisa...
Desde o Antigo Testamento fatos milagrosos aconteceram de forma nada convencionais como foi o caso da cura de Naamã. (2 Reis cap. 5) Para ser curado da lepra ele precisou mergulhar sete vezes no rio Jordão.
No Evangelho de João cap.9 Jesus cura um cego. Como ele fez? Cuspiu no chão, misturou saliva com terra e colocou aquilo nos olhos do homem e mandou que ele fosse ao tanque de Siloé se lavar. Ele poderia simplesmente ter dito: Fique são ou ainda: veja. O resultado teria sido o mesmo, mas ele não fez assim.
Em Marcos cap. 7 Jesus faz algo ainda mais “diferente”. Ele cura um surdo. Como ele fez? Depois de levá-lo à parte, longe da multidão, ele colocou os dedos nos ouvidos do homem e em seguida, cuspiu e o tocou na língua.
Se fosse hoje, caberia processo?
Jesus curou um leproso e ordenou que ele não contasse nada a ninguém, ele deveria apenas cumprir a lei e mostrar-se ao sacerdote. Como ficar calado?
As pessoas o veriam na cidade e veriam seu corpo são.
Quando Jesus libertou o endemoninhado de Gadara ordenou que o homem ficasse na cidade e anunciasse o que ele tinha feito. Imagine o pânico daquela sociedade ao ver o homem que lhes causavam espanto vindo em sua direção...
Muitas vezes desejamos um milagre de Deus e não o alcançamos porque queremos estipular uma forma para que Ele aja.
Deus continua operando milagres. Ele pode fazer agora ou depois. Ele pode fazê-lo de maneira instantânea ou processual. Ele pode anunciar ou permanecer em silêncio. E... Ele pode não fazê-lo.
Ele pode requerer a fé. Ou Ele pode ajuda-lo na sua incredulidade (Marcos 9:24)

Graças a Deus por sua multiforme graça! Graças a Deus porque com Ele não há métodos convencionais. Ele nos surpreende! Com Ele até a tristeza salta de alegria!

Comentários

Ah, Daphnne, agora vc conhece alguém que gostou da aula de Metodologia: Eu. Por sinal quando começar a dar aula em ensino superior é uma das matérias que irei ministrar :)
E sobre o tema da postagem, sinceramente amo essa característica de Jesus, Ele é realmente surpreendente! Pena que normalmente as pessoas evitam essa característica e vivem uma vida comum e sem graça.
Agradeço ao Senhor por nos deixar seus exemplos maravilhosos!
Que nós sejamos surpreendentes como Ele!

Postagens mais visitadas deste blog

O que aprendo com a gazela?

Convidada para pregar no culto de encerramento das atividades (2013) do grupo Dorcas (grupo de mulheres da AIDB-Uberlândia), me senti motivada a estudar a história desta personagem bíblica que inspirou o nome do grupo. Quem foi Dorcas? O que seu nome significa? Quais seus valores? Porque sua história motiva outras mulheres que trabalham na obra do Senhor?
O nome apresentado na história bíblica é Tabita e sua história é apresentada no contexto de sua morte. Estranho, não?
A narrativa se encontra no livro de Atos, cap.9 à partir do verso 36. E assim começa a descrição dos fatos: “E havia em Jope uma discípula chamada Tabita, que traduzido se diz Dorcas. Esta estava cheia de boas obras e esmolas que fazia. E aconteceu naqueles dias que, enfermando ela, morreu; e, tendo-a lavado, a depositaram num quarto alto”.
Para um “leitor dinâmico” estes dois versos resume toda a história. A mulher existiu, era uma mulher de boas obras, ficou doente e morreu (ponto!). Porém estes dois versos mostram ape…

Encontre a resposta!

Palavras e imagens sempre foram objetos da minha curiosidade. Talvez esta seja a razão porque gosto de fazer palavras cruzadas, montar quebra-cabeça e resolver exercícios de lógica.  Recentemente me vi num entrave com um exercício de lógica. Quatro imagens propunham uma palavra com seis letras. A primeira imagem era de um ovo, a segunda de um bolo de aniversário, a terceira de um cachorro e a última de uma prateleira de sapatos. Fiquei por muito tempo tentando achar a lógica daquele exercício. O que tem em comum um ovo, um bolo, um cachorro e sapatos?  Tentei várias palavras e nada. Deixei o exercício de lado por algumas vezes na esperança de voltar com uma solução. ‘Quebrei a cabeça’ com aquele enigma. Estava procurando uma ligação das imagens até perceber que a lógica estava na cor e não nas imagens em si. Mudei o foco para a cor e facilmente preenchi os espaços com as letras. Interessante como fixamos os olhos no problema e deixamos de perceber a solução bem diante dos nossos olhos. Nã…

Falando sobre "Lagar"

O que Gideão fazia no lagar? Se sua resposta foi diferente de "malhando trigo" acho que não está familiarizado com a história deste homem, pois, era exatamente isso que ele estava fazendo. Mas... para que serve um lagar? Afinal de contas... onde é que se malha o trigo? Bem, não me incomodo se essas perguntas nunca lhe passaram pela cabeça. Porém, desde minha última postagem no blog tenho meditado sobre essa passagem bíblica. O lugar correto para se malhar trigo chama-se Eira que segundo o dicionário quer dizer: extensão de terreno limpo e batido, ou lajeado, onde se secam, malham, trilham e limpam cereais e legumes; Sabe porque Gideão preferiu malhar o trigo num lagar? Ele não estava disposto a perder o seu sustento para os Midianitas. Por algum tempo os midianitas consumiam todo o alimento produzido pelos israelitas. Não somente as suas plantações eram destruídas mas também o seu rebanho. Muito bem, vamos voltar ao lagar... Segundo o dicionário lagar é: tanque onde se espremem ou p…