Pular para o conteúdo principal

Falta alguém na fotografia!

Com o avanço tecnológico ficou muito mais fácil fotografar. É possível ter uma câmera na mão em qualquer lugar que se vá e registrar qualquer coisa que se queira.
Uma das razões que fazemos estes registros é para compartilhar com outros nossas emoções, nossas conquistas e fazemos isto por meio de vários canais.
Posso dizer que as fotografias tornaram as redes sociais muito atrativas. São milhares de publicações de fotos todos os dias. Milhões de pessoas contam detalhadamente suas vidas por meio destes registros.
Hoje nem podemos mensurar a velocidade em que as pessoas compartilham seus momentos especiais através de fotografias publicadas nas redes sociais. 
Antes, porém, as fotos mais especiais eram penduradas em molduras num lugar de visibilidade nas casas. Dificilmente encontraremos uma casa em que não tenha uma fotografia em destaque. Elas ainda servem para “eternizar” momentos especiais. 
No início o registro de uma imagem era praticamente uma cerimônia. Tirar uma foto era oportunidade única de reunir a família inteira e gastar tempo para poses. (e torcer para que todos saíssem bem na foto).
Pense num tempo remoto, bem antes da fotografia...
Volte para os tempos bíblicos, para o livro de I Samuel cap. 16.
Deus havia rejeitado Saul como rei para Israel. Ele havia ordenado a Samuel que fosse à casa de Jessé porque de lá sairia o novo rei para a nação, um homem segundo o coração de Deus.
IMAGINO Jessé recebendo Samuel e conduzindo o profeta por um passeio por sua casa e o encaminhando para o lugar de maior visibilidade e apontando uma moldura... Na fotografia estão seus filhos em pose de bravos guerreiros. 
Sete homens bonitos, fortes e elegantes, sorridentes e bem vestidos. Aquele momento de registro havia sido especial. Uma preparação para a vinda do profeta àquela casa.
O profeta fica admirado e frustrado ao mesmo tempo. Ele nota a aparência dos belos filhos de Jessé, mas não identifica um homem segundo o coração de Deus.
Bem, a história não é bem assim, esta é a minha imaginação...
Não há nada de errado na fotografia se não pelo fato que faltava alguém ali. 
Jessé havia “emoldurado” seus filhos e deixado um de fora. No entanto Deus não olha para a “moldura” Ele vê o todo.
Os olhos de Deus contemplavam Davi, no campo. 
Você vê algo familiar aqui? 
Nós emolduramos diversas situações. Não enxergamos o todo e por esta razão falhamos em não confiar em Deus o tempo todo.
Se tirarmos os olhos da moldura, da janela em que debruçamos, das situações que limitamos... Veríamos a provisão de Deus! Somos chamados a ampliar a nossa visão. Alargar a nossa confiança em Deus.
Se Jessé tivesse se apercebido, teria uma fotografia com seus oito filhos e o foco ajustado especialmente num deles, justamente naquele que ele havia deixado de fora. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O que aprendo com a gazela?

Convidada para pregar no culto de encerramento das atividades (2013) do grupo Dorcas (grupo de mulheres da AIDB-Uberlândia), me senti motivada a estudar a história desta personagem bíblica que inspirou o nome do grupo. Quem foi Dorcas? O que seu nome significa? Quais seus valores? Porque sua história motiva outras mulheres que trabalham na obra do Senhor?
O nome apresentado na história bíblica é Tabita e sua história é apresentada no contexto de sua morte. Estranho, não?
A narrativa se encontra no livro de Atos, cap.9 à partir do verso 36. E assim começa a descrição dos fatos: “E havia em Jope uma discípula chamada Tabita, que traduzido se diz Dorcas. Esta estava cheia de boas obras e esmolas que fazia. E aconteceu naqueles dias que, enfermando ela, morreu; e, tendo-a lavado, a depositaram num quarto alto”.
Para um “leitor dinâmico” estes dois versos resume toda a história. A mulher existiu, era uma mulher de boas obras, ficou doente e morreu (ponto!). Porém estes dois versos mostram ape…

Encontre a resposta!

Palavras e imagens sempre foram objetos da minha curiosidade. Talvez esta seja a razão porque gosto de fazer palavras cruzadas, montar quebra-cabeça e resolver exercícios de lógica.  Recentemente me vi num entrave com um exercício de lógica. Quatro imagens propunham uma palavra com seis letras. A primeira imagem era de um ovo, a segunda de um bolo de aniversário, a terceira de um cachorro e a última de uma prateleira de sapatos. Fiquei por muito tempo tentando achar a lógica daquele exercício. O que tem em comum um ovo, um bolo, um cachorro e sapatos?  Tentei várias palavras e nada. Deixei o exercício de lado por algumas vezes na esperança de voltar com uma solução. ‘Quebrei a cabeça’ com aquele enigma. Estava procurando uma ligação das imagens até perceber que a lógica estava na cor e não nas imagens em si. Mudei o foco para a cor e facilmente preenchi os espaços com as letras. Interessante como fixamos os olhos no problema e deixamos de perceber a solução bem diante dos nossos olhos. Nã…

Falando sobre "Lagar"

O que Gideão fazia no lagar? Se sua resposta foi diferente de "malhando trigo" acho que não está familiarizado com a história deste homem, pois, era exatamente isso que ele estava fazendo. Mas... para que serve um lagar? Afinal de contas... onde é que se malha o trigo? Bem, não me incomodo se essas perguntas nunca lhe passaram pela cabeça. Porém, desde minha última postagem no blog tenho meditado sobre essa passagem bíblica. O lugar correto para se malhar trigo chama-se Eira que segundo o dicionário quer dizer: extensão de terreno limpo e batido, ou lajeado, onde se secam, malham, trilham e limpam cereais e legumes; Sabe porque Gideão preferiu malhar o trigo num lagar? Ele não estava disposto a perder o seu sustento para os Midianitas. Por algum tempo os midianitas consumiam todo o alimento produzido pelos israelitas. Não somente as suas plantações eram destruídas mas também o seu rebanho. Muito bem, vamos voltar ao lagar... Segundo o dicionário lagar é: tanque onde se espremem ou p…