Pular para o conteúdo principal

Saia da Janela

Ontem tive a grata oportunidade de pregar no culto dirigido pelas irmãs na igreja AIDB – Curitiba. Foi um prazer assumir esse desafio e um privilégio presenciar o resultado do “desafio cor de rosa”. Parabéns a todas as irmãs que trabalharam para realizar o desafio. Todas as visitas, presentes, lembranças e apresentações foram muito importantes no resultado final desse trabalho para o Senhor. Deus abençoe cada uma de vocês.
O tema da mensagem foi: Saia da janela.
Janela dá uma visão limitada do todo. No sentido figurado emoldura uma situação e proporciona uma ilusão de que o que se vê é a realidade completa.
No livro de Rute há uma ilustração perfeita para a mensagem.
Noemi se vê viúva com duas noras e nenhuma perspectiva de melhora em Moabe. Decide voltar para Belém de Judá e tocar a vida sozinha. Chama Orfa e Rute e lhes aponta uma “janela”. (Rute 1: 11-13).
A primeira nora (Orfa) olha para aquela “janela”, analisa a situação ali emoldurada e toma por fim aquelas palavras. Concorda com Noemi, chora se despede e volta para seus pais e deuses.
Porém Rute, não tem a mesma percepção. Ela havia feito uma aliança matrimonial que por causa da morte do seu marido estava desfeita e uma aliança com o Deus de seu marido que não podia se desfazer. O Deus de Israel não morre. A aliança estava intacta.
Ela vai com Noemi para Belem é direcionada por Deus para trabalhar nos campos de Boaz. Esse homem era um remidor, foi benigno para com Rute, reconheceu suas virtudes, sua fé no Deus de Israel e a tomou por esposa. Desse casamento nasce Obede que gerou a Jessé que gerou a Davi. O rei Davi. Por conta de sua visão ampliada e decisão de seguir a Deus foi honrada a tal ponto de ter parte na genealogia de Jesus.
Davi por sua vez foi um homem extraordinário que teve uma vida e chamado fora da janela. Para os que estudam inovação, Davi foi “o cara” que viveu e "pensava fora do quadrado".
Quando finalmente foi nomeado rei, elegeu Jerusalém para ser o centro de seu governo, e fez com que a arca fosse introduzida nessa cidade. Ele consagrou-se e organizou os levitas e sacerdotes para essa grande obra. Alegrou-se, humilhou-se e se rendeu em adoração e louvor a Deus pelo privilégio de ter sua presença em Jerusalém.
As mulheres daquela época tinham por costume sair ao encontro de seus homens quando esses voltavam de uma conquista. Elas saiam ao encontro deles com danças e festa. Vemos nessa história uma personagem, Mical, esposa de Davi, olhando pela janela a comitiva se aproximando de Jerusalém.
Mical deveria ter feito com suas donzelas o que era de costume fazer naquela ocasião, mas não fez. Ela preferiu permanecer na janela...
Sem entender o porquê de o rei estar sem seus trajes reais. Sem entender porque ele dançava com suas servas diante de uma arca. Sem ter parte naquela celebração, desprezou tudo aquilo pela visão emoldurada que obteve daquela janela.
Quando o rei Davi despediu o povo e voltou para abençoar sua casa foi recebido por Mical com criticas ao seu culto espontâneo e humilde. Ele rejeitou a atitude de Mical e ela por sua vez tornou-se estéril.
Note bem quanta diferença para a atitude de Rute e Mical. Uma não aceitou a visão que a janela lhe proporcionou como o fim e obteve a bênção de Deus. A maldição se transformou em bênção e de sua descendência nasceu Jesus, o cristo. A outra que tinha tudo para ser uma mulher extraordinária, princesa de nascimento, esposa do rei Davi, amada por ele, teve um fim infeliz. Seu desprezo ao Deus de Israel trouxe a ela esterilidade e um fim sem louvor.
A visão que se tem de uma janela é uma visão limitada. Não é bom permanecer debruçado numa janela por muito tempo. Saia da janela como Rute fez e obtenha a benção de Deus.
É o que desejo para você e os seus.

Comentários

Bom dia querida Daphnne...Que bom começar minha semana com esta reflexão!!!!! Sair da janela é ousar, é arriscar tudo, é mesmo sem compreender acreditar que Deus tem o propósito estabelecido para todas as coisas. É não permitir que o medo aprisione a vontade e a coragem de prosseguir. Esse é o grande desafio!!! Sair da janela diante das circunstâncias embora, às vezes nos agachamos atrás dela para não olhar pra fora. Que realmente esta seja uma semana de crescimento espiritual a cada um de nós. Obrigada!

Postagens mais visitadas deste blog

O que aprendo com a gazela?

Convidada para pregar no culto de encerramento das atividades (2013) do grupo Dorcas (grupo de mulheres da AIDB-Uberlândia), me senti motivada a estudar a história desta personagem bíblica que inspirou o nome do grupo. Quem foi Dorcas? O que seu nome significa? Quais seus valores? Porque sua história motiva outras mulheres que trabalham na obra do Senhor?
O nome apresentado na história bíblica é Tabita e sua história é apresentada no contexto de sua morte. Estranho, não?
A narrativa se encontra no livro de Atos, cap.9 à partir do verso 36. E assim começa a descrição dos fatos: “E havia em Jope uma discípula chamada Tabita, que traduzido se diz Dorcas. Esta estava cheia de boas obras e esmolas que fazia. E aconteceu naqueles dias que, enfermando ela, morreu; e, tendo-a lavado, a depositaram num quarto alto”.
Para um “leitor dinâmico” estes dois versos resume toda a história. A mulher existiu, era uma mulher de boas obras, ficou doente e morreu (ponto!). Porém estes dois versos mostram ape…

Encontre a resposta!

Palavras e imagens sempre foram objetos da minha curiosidade. Talvez esta seja a razão porque gosto de fazer palavras cruzadas, montar quebra-cabeça e resolver exercícios de lógica.  Recentemente me vi num entrave com um exercício de lógica. Quatro imagens propunham uma palavra com seis letras. A primeira imagem era de um ovo, a segunda de um bolo de aniversário, a terceira de um cachorro e a última de uma prateleira de sapatos. Fiquei por muito tempo tentando achar a lógica daquele exercício. O que tem em comum um ovo, um bolo, um cachorro e sapatos?  Tentei várias palavras e nada. Deixei o exercício de lado por algumas vezes na esperança de voltar com uma solução. ‘Quebrei a cabeça’ com aquele enigma. Estava procurando uma ligação das imagens até perceber que a lógica estava na cor e não nas imagens em si. Mudei o foco para a cor e facilmente preenchi os espaços com as letras. Interessante como fixamos os olhos no problema e deixamos de perceber a solução bem diante dos nossos olhos. Nã…

Falando sobre "Lagar"

O que Gideão fazia no lagar? Se sua resposta foi diferente de "malhando trigo" acho que não está familiarizado com a história deste homem, pois, era exatamente isso que ele estava fazendo. Mas... para que serve um lagar? Afinal de contas... onde é que se malha o trigo? Bem, não me incomodo se essas perguntas nunca lhe passaram pela cabeça. Porém, desde minha última postagem no blog tenho meditado sobre essa passagem bíblica. O lugar correto para se malhar trigo chama-se Eira que segundo o dicionário quer dizer: extensão de terreno limpo e batido, ou lajeado, onde se secam, malham, trilham e limpam cereais e legumes; Sabe porque Gideão preferiu malhar o trigo num lagar? Ele não estava disposto a perder o seu sustento para os Midianitas. Por algum tempo os midianitas consumiam todo o alimento produzido pelos israelitas. Não somente as suas plantações eram destruídas mas também o seu rebanho. Muito bem, vamos voltar ao lagar... Segundo o dicionário lagar é: tanque onde se espremem ou p…