Pular para o conteúdo principal

É Assim Que Se Faz!

Acredito que algumas perguntas são fundamentais para nosso crescimento pessoal.

Parece simplista demais, porém a pergunta: Quem sou eu? – pode revelar aquilo que nós mesmos negligenciamos a nosso respeito.

Desde a semana passada estou refletindo sobre dois personagens da história bíblica tentando elaborar um texto para que possamos juntos tirar algum proveito.

Ambos tiveram a oportunidade de se apresentar à reis, homens poderosos e também à homens comuns. Sonharam alcançar posição social e política. Tiveram grandes oportunidades.

Porém suas histórias são distantes. O primeiro teve a grandeza de se perguntar quem era ele, o segundo simplesmente pensou ter a certeza de quem ele era.

O primeiro analisou sua trajetória de vida, suas frustrações e seus sonhos. Soube que era dependente do favor de Deus e que seus sonhos só se realizariam no tempo dEle. Procurou ser zeloso em suas palavras e ações enquanto o segundo não temia a Deus nem se preocupou com o resultado de suas palavras e ações. Procurou realizar seus projetos sem razão e conhecimento.

Chega um momento na história do Egito em que Faraó se debate em pesadelos. No seu desespero com as imagens do pesadelo procura um significado. Seus sábios e feiticeiros não podem lhe ajudar. Porém aqueles sonhos foram reais demais para serem ignorados.

Nesse cenário aparece José. O conhecido sonhador. O homem que aprendeu a questionar com zelo e temor quem ele era. Ele se apresenta o faraó. Revela o significado dos pesadelos do rei do Egito. Dá conselhos do que deveria ser feito.

Um homem sábio e de confiança deveria ser colocado para administrar a crise que se revelaria em sete anos. A situação no Egito dependia de um homem capacitado.

Faraó então tira do dedo o seu anel e entrega a José, tira seu manto real e o veste em José, faz com que José saia pelas ruas da cidade para que todos vejam como é que se faz a quem o rei deseja honrar.

Este homem chamado José teve uma visão geral primeiramente de quem ele era e por fim todos puderam reconhecer que ele era quem dizia ser. Homem temente a Deus. Sonhador. Idealizador e conquistador de grandes feitos.

O segundo personagem é um homem de linhagem real, porém seu coração é traiçoeiro. Ele deseja uma posição no reino, deseja reconhecimento, mas suas atitudes revelavam quem de fato ele era. Homem desleal, orgulhoso e mal.

O rei Assuero perde o sono no meio da noite e se vê impelido a ler as crônicas referentes ao seu reinado. Encontra um homem que lhe salvou a vida. Sabe que este homem merecia honra, porém não foi honrado.

Nesse momento apresenta-se diante dele o homem traidor chamado Hamã. O rei procura saber o que se deve fazer a um homem que ele deseja honrar.

Hamã no seu engano pensado tratar de si mesmo sugere que o rei dê o seu anel ao homem digno de honra, lhe vista com sua capa e faça com que monte em seu cavalo e saia pelas ruas gritando: assim se faz ao homem a quem o rei deseja honrar.

Coitado de Hamã. Ele não se dedicou em saber quem ele era porém seu coração enganador lhe traiu. Foi designado a honrar a quem desejava ver morto.

Hamã nunca soube reconhecer que ele era homem mortal, cheio de erro e de engano. Ele pensava ser o tal. Menosprezou quem tinha honra, dignidade e lealdade. Na forca que preparou para Mordecai foi enforcado. Enquanto todos confirmaram quem Hamã era, ele não podia entender o fim de sua trajetória porque não soube sua identidade.Não tirou um tempo da sua vida para conhecer quem ele era.

Meu amigo essas duas histórias mostram duas realidades.

A primeira quem sabe o que é realiza seus sonhos.

A segunda quem não sabe o que é, além de não reconhecer a si não reconhece o próximo e está sujeito a ser traído pelo próprio engano.

Quer ouvir ao seu respeito o clamor: "É assim que se faz!"?

Saiba primeiro quem você é.

Comentários

Miriam disse…
Saber quem nós somos é uma tarefa muito difícil. Muitas vezes pensamos que jamais faríamos assim ou aquilo, porém chega o tempo e somos surpreendidos, outras vezes assim como Pedro pensamos que vamos com Jesus até a morte e um problema abala a grande fé que temos. É importante gastarmos tempo em oração e busca de um caráter aperfeiçoado segundo a vontade de Deus. Boa reflexão (como sempre). Deus te abençõe tia de 3 ou 4 ou 5...com carinho, Miriam

Postagens mais visitadas deste blog

O que aprendo com a gazela?

Convidada para pregar no culto de encerramento das atividades (2013) do grupo Dorcas (grupo de mulheres da AIDB-Uberlândia), me senti motivada a estudar a história desta personagem bíblica que inspirou o nome do grupo. Quem foi Dorcas? O que seu nome significa? Quais seus valores? Porque sua história motiva outras mulheres que trabalham na obra do Senhor?
O nome apresentado na história bíblica é Tabita e sua história é apresentada no contexto de sua morte. Estranho, não?
A narrativa se encontra no livro de Atos, cap.9 à partir do verso 36. E assim começa a descrição dos fatos: “E havia em Jope uma discípula chamada Tabita, que traduzido se diz Dorcas. Esta estava cheia de boas obras e esmolas que fazia. E aconteceu naqueles dias que, enfermando ela, morreu; e, tendo-a lavado, a depositaram num quarto alto”.
Para um “leitor dinâmico” estes dois versos resume toda a história. A mulher existiu, era uma mulher de boas obras, ficou doente e morreu (ponto!). Porém estes dois versos mostram ape…

Encontre a resposta!

Palavras e imagens sempre foram objetos da minha curiosidade. Talvez esta seja a razão porque gosto de fazer palavras cruzadas, montar quebra-cabeça e resolver exercícios de lógica.  Recentemente me vi num entrave com um exercício de lógica. Quatro imagens propunham uma palavra com seis letras. A primeira imagem era de um ovo, a segunda de um bolo de aniversário, a terceira de um cachorro e a última de uma prateleira de sapatos. Fiquei por muito tempo tentando achar a lógica daquele exercício. O que tem em comum um ovo, um bolo, um cachorro e sapatos?  Tentei várias palavras e nada. Deixei o exercício de lado por algumas vezes na esperança de voltar com uma solução. ‘Quebrei a cabeça’ com aquele enigma. Estava procurando uma ligação das imagens até perceber que a lógica estava na cor e não nas imagens em si. Mudei o foco para a cor e facilmente preenchi os espaços com as letras. Interessante como fixamos os olhos no problema e deixamos de perceber a solução bem diante dos nossos olhos. Nã…

Falando sobre "Lagar"

O que Gideão fazia no lagar? Se sua resposta foi diferente de "malhando trigo" acho que não está familiarizado com a história deste homem, pois, era exatamente isso que ele estava fazendo. Mas... para que serve um lagar? Afinal de contas... onde é que se malha o trigo? Bem, não me incomodo se essas perguntas nunca lhe passaram pela cabeça. Porém, desde minha última postagem no blog tenho meditado sobre essa passagem bíblica. O lugar correto para se malhar trigo chama-se Eira que segundo o dicionário quer dizer: extensão de terreno limpo e batido, ou lajeado, onde se secam, malham, trilham e limpam cereais e legumes; Sabe porque Gideão preferiu malhar o trigo num lagar? Ele não estava disposto a perder o seu sustento para os Midianitas. Por algum tempo os midianitas consumiam todo o alimento produzido pelos israelitas. Não somente as suas plantações eram destruídas mas também o seu rebanho. Muito bem, vamos voltar ao lagar... Segundo o dicionário lagar é: tanque onde se espremem ou p…