sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Conclusão sobre Perdão...

Olá,
Que bom poder “encontrá-lo” por aqui.
Certamente você já está curioso para saber a minha posição referente à pergunta da minha última postagem.
Então vamos lá...
Acredito que a falta de perdão aprisiona o coração, enfraquece a alma e adoece o corpo. Tornamos nossos ofensores prisioneiros de nossos sentimentos e o contrário também é uma dura verdade.
Dessa maneira posso destacar a palavra LIBERAR, utilizada em algumas respostas.
Quando liberamos (perdão), colocamos em liberdade o que havia sido aprisionado.
Por essa razão acredito que seja não mais fácil, mas conveniente; pedir perdão. É mais cômodo como disse a Juh Moreno.
Falo isso analisando o fato de sermos egoístas por natureza. Preferimos ser liberados de nossas acusações ou isentos de nossas dívidas do que oferecer ao nosso ofensor a liberdade.
Porém sabemos que não podemos responder a essa pergunta tão complexa de uma maneira muito simples assim.
Aprendemos com Cristo o modelo de perdão...
Reconhecemos que precisamos vencer uma guerra dentro de nós travada entre “carne e espírito”.
Pela carne entendemos quão prejudicados somos quando feridos na alma, envergonhados no corpo, humilhados, injuriados e nossa reação é querer retribuir com “voadoras” como disse a Rita.
Pelo espírito reconhecemos que nossos ofensores são tão falhos como nós e tão necessitados de perdão como nós.
Aprendemos com Cristo que não apenas 7 vezes devemos perdoar, mas 70 x 7...
É uma matemática difícil quando nós somos os prejudicados, mas facilmente entendida quando estamos na posição contrária.
Portanto como concluiu a (tia) Débora, "perdoar e pedir perdão é uma condição humana, da qual não somos suficientemente capazes por nossa própria força e vontade".
Que Deus nos ajude, pelo seu espírito, perdoar assim como ele nos tem perdoado!
Obrigada por sua participação, foi uma ótima discussão!

2 comentários:

Débora Polycarpo disse...

Bom dia Daphnne... Excelente consideração final! Quero compartilhar uma experiência que marcou a minha vida... Tinha uma “amiga”, eu acreditava nisto, que me decepcionou muitíssimo. Cheguei ao ponto de não suportar mais ouvir sua voz e etc. Num culto de Santa Ceia, lá estava eu me preparando para participar, quando o, hoje, Pr. Jefferson trouxe uma mensagem sobre o perdão e disse justamente tudo isto que você esclarece em sua reflexão. Foi um tremendo tapa na orelha pra mim. Então eu comecei a pedir cura pra Deus, fui sincera ao dizer que não conseguia perdoar por minha própria vontade, mas eu queria ficar livre, eu queria ficar livre deste rancor que estava crescendo cada vez mais rápido em mim. Orei com todas as forças do meu coração e senti que o Espírito Santo agia em meu coração. No outro dia cheguei nesta pessoa e contei o que Deus havia feito em minha vida, falei que lhe perdoava e a partir deste dia me senti curada, livre e cheia de paz. O interessante é que nossa amizade não voltou a ser como antes, se é que existia realmente uma amizade de ambas as partes. Porém, tenho certeza que a cura foi real, me sinto perdoada por Deus e também tenho convicção de que liberei perdão genuíno para esta pessoa. Foi o Sangue de Cristo Jesus que proporcionou está condição pra mim. Outro ponto chave foi o ouvir a Palavra e ela me libertou. Espero que meu testemunho possa alcançar outros corações. Mais uma vez quero dizer que te amo. E já estou ansiosa por uma nova enquete. Bjs

Anônimo disse...

heinnnn cunhada!!!
kd as atualizações??
Ta buscando inspiração??
A nemmmmmmmmm já deu saudade das reflexões!!! rsrsrs!
abraçossssssss

Lú...