Pular para o conteúdo principal

Âncora da Alma

Sabe quando você lê, relê e lê de novo um mesmo texto e de repente seus olhos fixam em algumas palavras que revelam algo novo?
Isso foi o que me ocorreu quando lia uma outra vez o livro de Hebreus quando o escritor faz referência à esperança e a chama de “âncora da alma”.
Essa expressão soou como um eco na minha mente e por alguns momentos as palavras pareceram diante dos meus olhos como um letreiro luminoso.
O apóstolo Paulo, provavelmente o escritor de Hebreus, narra uma situação de naufrágio do navio que o transportava como prisioneiro para a Itália no livro de Atos dos Apóstolos no capítulo 27.
Nesta narração presenciamos uma má condição climática para a navegação. O navio a carga e as vidas dos navegantes estavam em risco por conta dos ventos contrários e posteriormente por conta da tempestade que os alcançou.
Não podiam navegar contra o vento e por muitos dias não tinham o sol ou estrelas que pudessem orientar a direção de navegação de maneira que perderam a esperança de se salvarem.
Mas, no meio dessa narração Paulo começa a falar aos marinheiros, soldados e prisioneiros sobre a esperança. Sendo servo de Deus e tendo recebido sua palavra o apóstolo transmite sua inteira confiança na imutabilidade de Deus e no fato de que ele não pode mentir. A palavra era que a vida de todos os navegantes estaria a salvo.
Para os marinheiros e prisioneiros as palavras de Paulo soavam estranhas em meio da tormenta e até então nem condições de lançarem âncoras haviam encontrado (O atrito da âncora com o fundo arenoso é suficiente para equilibrar a força do mar e manter a embarcação praticamente imóvel). Porém no verso 29 os marinheiros encontram a oportunidade de fazê-lo, lançam quatro âncoras ao mar. A história se desenrola e finalmente, conforme a palavra de Paulo, todos se salvam e mais uma vez a palavra de Deus se cumpre diante de homens que haviam perdido as esperanças.
Na vida encontramos situações que nos impossibilita ter uma boa navegação. Nosso barco em alguns momentos parece ir a pique, mas voltemos ao que disse o escritor de Hebreus – à âncora da alma; esperança em Cristo.
Como uma âncora para manter a embarcação firme, nossa esperança em Cristo deve ser firme e profunda. Podemos descansar no fato de Cristo ser imutável e de que não pode mentir. Ele diz que estaria conosco todos os dias e, isso inclui dias tempestuosos.
Seu amor vai além de nossas limitações e falhas. Ele é misericordioso para perdoar. Lance âncora. A tempestade vai passar e o bom mestre te conduzirá em segurança ao porto seguro.

Comentários

Que bela manhã de sol está aqui fica até difícil tentar imaginar este episódio, mas ao trazer esta imagem para nosso dia a dia é possível ter uma visão nítida da situação.
Realmente estas palavras com as quais você conclui sua postagem reforçam nossa certeza e esperança de que:
"Podemos descansar no fato de
Cristo ser imutável e de que não pode mentir. Ele diz que estaria conosco todos os dias e, isso inclui dias tempestuosos.
Seu amor vai além de nossas limitações e falhas. Ele é misericordioso para perdoar. Lance âncora. A tempestade vai passar e o bom mestre te conduzirá em segurança ao porto seguro".
Obrigada por fazer florescer, mais uma vez a minha esperança.
Bjs carinhosos tia Débora
mari disse…
obrigado por se tornar minha amiga e irmã em cristo,vc ja esta em meu livro de orações,fique na paz Deus a bençoe.

MARI...

Postagens mais visitadas deste blog

O que aprendo com a gazela?

Convidada para pregar no culto de encerramento das atividades (2013) do grupo Dorcas (grupo de mulheres da AIDB-Uberlândia), me senti motivada a estudar a história desta personagem bíblica que inspirou o nome do grupo. Quem foi Dorcas? O que seu nome significa? Quais seus valores? Porque sua história motiva outras mulheres que trabalham na obra do Senhor?
O nome apresentado na história bíblica é Tabita e sua história é apresentada no contexto de sua morte. Estranho, não?
A narrativa se encontra no livro de Atos, cap.9 à partir do verso 36. E assim começa a descrição dos fatos: “E havia em Jope uma discípula chamada Tabita, que traduzido se diz Dorcas. Esta estava cheia de boas obras e esmolas que fazia. E aconteceu naqueles dias que, enfermando ela, morreu; e, tendo-a lavado, a depositaram num quarto alto”.
Para um “leitor dinâmico” estes dois versos resume toda a história. A mulher existiu, era uma mulher de boas obras, ficou doente e morreu (ponto!). Porém estes dois versos mostram ape…

Encontre a resposta!

Palavras e imagens sempre foram objetos da minha curiosidade. Talvez esta seja a razão porque gosto de fazer palavras cruzadas, montar quebra-cabeça e resolver exercícios de lógica.  Recentemente me vi num entrave com um exercício de lógica. Quatro imagens propunham uma palavra com seis letras. A primeira imagem era de um ovo, a segunda de um bolo de aniversário, a terceira de um cachorro e a última de uma prateleira de sapatos. Fiquei por muito tempo tentando achar a lógica daquele exercício. O que tem em comum um ovo, um bolo, um cachorro e sapatos?  Tentei várias palavras e nada. Deixei o exercício de lado por algumas vezes na esperança de voltar com uma solução. ‘Quebrei a cabeça’ com aquele enigma. Estava procurando uma ligação das imagens até perceber que a lógica estava na cor e não nas imagens em si. Mudei o foco para a cor e facilmente preenchi os espaços com as letras. Interessante como fixamos os olhos no problema e deixamos de perceber a solução bem diante dos nossos olhos. Nã…

Falando sobre "Lagar"

O que Gideão fazia no lagar? Se sua resposta foi diferente de "malhando trigo" acho que não está familiarizado com a história deste homem, pois, era exatamente isso que ele estava fazendo. Mas... para que serve um lagar? Afinal de contas... onde é que se malha o trigo? Bem, não me incomodo se essas perguntas nunca lhe passaram pela cabeça. Porém, desde minha última postagem no blog tenho meditado sobre essa passagem bíblica. O lugar correto para se malhar trigo chama-se Eira que segundo o dicionário quer dizer: extensão de terreno limpo e batido, ou lajeado, onde se secam, malham, trilham e limpam cereais e legumes; Sabe porque Gideão preferiu malhar o trigo num lagar? Ele não estava disposto a perder o seu sustento para os Midianitas. Por algum tempo os midianitas consumiam todo o alimento produzido pelos israelitas. Não somente as suas plantações eram destruídas mas também o seu rebanho. Muito bem, vamos voltar ao lagar... Segundo o dicionário lagar é: tanque onde se espremem ou p…