Pular para o conteúdo principal

Metamorfose

Podemos obter respostas científicas á respeito da metamorfose animal, verificarmos o processo dentro de um casulo onde ocorre a transformação de uma lagarta em borboleta, mas uma vara? Como pode transformar-se em rocha?
Passamos dias e talvez semanas estudando, lá no nosso tempo de ensino médio, o processo de formação das rochas e percebemos que nenhum professor ousou dizer que a rocha é resultado de uma ação natural que se dá por uma vara ou um ramo, isso é incontestável para nós.
A ciência não tem a resposta para essa pergunta nem a terá visto que somente pelo espírito é que se pode respondê-la.
Pois bem, comecemos por Mateus 16 verso 18 no qual Jesus diz as seguintes palavras a Pedro: “Pois também te digo que tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão sobre ela;”.
Quando Pedro recebeu esta palavra ele era ainda uma vara e não se tornou uma rocha de imediato. Seu caracter foi revelado por suas ações oscilatórias. Ele “ia e vinha”. Sua natureza impulsiva foi revelada em Mateus 14. Levado pela surpresa de ver Jesus andando sobre as águas, desejou fazer o mesmo e não pode esconder sua covardia ao colocar os olhos sobre as águas que eram o estrado dos seus pés, duvidou e começou a afundar.
Pedro vacilava em muitas de suas ações. Por um momento ele tinha sensibilidade ao Espírito tanto é que foi revelado a respeito do Cristo em Mateus 16:16, por outro momento o negou praguejando em Marcos 14:70-71. Era levado pelo vento que o soprava. Notamos sua disposição para seguir a Jesus em Marcos 1:18 mas o vemos seguindo de longe quando o mesmo era exposto aos açoites (Mt26;58).
Podemos ainda fazer várias outras observações. Cometeríamos erro grave se afirmássemos que as palavras ditas por Jesus a respeito de Pedro se cumpriram sem que houvesse mudança na sua personalidade.
Após 10 dias em que os apóstolos com suas famílias estavam reunidos no cenáculo, houve uma mudança. Eu ousarei dizer que a metamorfose de uma vara em rocha levaram 10 dias para se realizar. O cenáculo pode ser observado como um casulo, lugar este que serviu para colocar em xeque vários questionamentos, várias reflexões. As pessoas que ali estavam, passaram por um processo, estavam presas firmadas em uma promessa e recuadas com medo e incertezas, mas não saíram sem que recebessem o poder do qual Jesus falara.
Findo o tempo de 10 dias, o espírito do Senhor encheu toda a casa. Reuniu-se uma grande multidão do lado de fora, pensando o que havia ocorrido com aqueles seguidores de Jesus, recuados sem a companhia do seu mestre... quando surge na porta um homem que cheio de autoridade e ousadia começa a lhes dizer o evangelho de Cristo. Pedro aparece na porta expondo o resultado de uma metamorfose espiritual. Suas atitudes de “vara” ou seja suas oscilações carnais cederam e deram lugar a firmeza agora Pedro é rocha. A partir dai ele aparece pregando, curando, enfrentando o Sinédrio com grande autoridade e ousadia, é açoitado mas não negando a sua fé, é aprisionado mais agora o seu espírito está livre do medo, é valoroso e inabalável.
A promessa em Mateus 16:18 foi cumprida e agora podemos com satisfação responder aquilo que a ciência não responde. Um fraco torna-se forte, um pequeno torna-se grande, uma vara torna-se uma rocha, pela ação do Espírito Santo de Deus. Levemos pois avante a explicação da metamorfose espiritual para que o mundo seja salvo por Cristo Jesus o nosso redentor e salvador!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O que aprendo com a gazela?

Convidada para pregar no culto de encerramento das atividades (2013) do grupo Dorcas (grupo de mulheres da AIDB-Uberlândia), me senti motivada a estudar a história desta personagem bíblica que inspirou o nome do grupo. Quem foi Dorcas? O que seu nome significa? Quais seus valores? Porque sua história motiva outras mulheres que trabalham na obra do Senhor?
O nome apresentado na história bíblica é Tabita e sua história é apresentada no contexto de sua morte. Estranho, não?
A narrativa se encontra no livro de Atos, cap.9 à partir do verso 36. E assim começa a descrição dos fatos: “E havia em Jope uma discípula chamada Tabita, que traduzido se diz Dorcas. Esta estava cheia de boas obras e esmolas que fazia. E aconteceu naqueles dias que, enfermando ela, morreu; e, tendo-a lavado, a depositaram num quarto alto”.
Para um “leitor dinâmico” estes dois versos resume toda a história. A mulher existiu, era uma mulher de boas obras, ficou doente e morreu (ponto!). Porém estes dois versos mostram ape…

Falando sobre "Lagar"

O que Gideão fazia no lagar? Se sua resposta foi diferente de "malhando trigo" acho que não está familiarizado com a história deste homem, pois, era exatamente isso que ele estava fazendo. Mas... para que serve um lagar? Afinal de contas... onde é que se malha o trigo? Bem, não me incomodo se essas perguntas nunca lhe passaram pela cabeça. Porém, desde minha última postagem no blog tenho meditado sobre essa passagem bíblica. O lugar correto para se malhar trigo chama-se Eira que segundo o dicionário quer dizer: extensão de terreno limpo e batido, ou lajeado, onde se secam, malham, trilham e limpam cereais e legumes; Sabe porque Gideão preferiu malhar o trigo num lagar? Ele não estava disposto a perder o seu sustento para os Midianitas. Por algum tempo os midianitas consumiam todo o alimento produzido pelos israelitas. Não somente as suas plantações eram destruídas mas também o seu rebanho. Muito bem, vamos voltar ao lagar... Segundo o dicionário lagar é: tanque onde se espremem ou p…

Um encontro na fenda da rocha

Visitar as formações rochosas no início da semana me fez lembrar uma passagem interessante que se encontra no livro de Êxodo cap. 33 quando Moisés pediu para ver a glória de Deus. Impressiono-me com a ousadia desse homem em pedir para Deus algo tão grandioso. Enquanto olhava para as rochas pensava na história de Moisés, pois a bíblia menciona que Deus respondeu ao pedido dele. Não em sua totalidade é verdade, mas o levou numa fenda da rocha, tampou-lhe os olhos enquanto passava por ele e permitiu que visse suas costas.  Também me lembrei de duas músicas baseadas nessa história e gostaria de compartilhar com vocês... Uma é interpretada pela cantora Fernanda Brum se chama: “Em tua presença” e a outra é interpretada pela cantora Alda Célia e se chama: “Mostra-me tua glória” . Moisés desfrutou de um feito extraordinário, não ouve nada igual. Por quê?  Ele desejou um nível mais profundo de intimidade com Deus. Que possamos compartilhar do mesmo anseio de Moisés... Tenha um bom fim de semana!