Pular para o conteúdo principal

Caminhando com Deus nos Vales

Recentemente tive a oportunidade de ministrar a palavra na igreja. Naquela semana fui impulsionada a ler e meditar sobre nossa caminhada com Deus. Para pautar a mensagem utilizei o tão conhecido Salmo 23. Quem não conhece este salmo Davídico?
Davi antes de ser rei era pastor. Ele conhecia bem esta ocupação. Por ser pastor desenvolveu um senso de responsabilidade, cuidado e amor por suas ovelhas. Era ele o responsável pelo rebanho. Ele que alimentava, dava de beber, tratava as feridas e levava as ovelhas de seu pai para pastos seguros onde elas podiam descansar. Portanto, a figura do pastor era muito bem definida e compreendida por este salmista. Nada mais apropriado que utilizar de uma figura conhecida para transmitir uma mensagem.
Foi o que este homem fez no Salmo 23. Ele diz: O Senhor é meu pastor. Se Ele é meu pastor e eu sou ovelha... De nada terei falta. Ele se encarrega do meu descanso, Ele cuida da minha sede, fome e da minha saúde, Ele me ama. 
É possível imaginar através destas palavras um campo verde muito bem cuidado e ovelhas de brancas lãs. A paisagem na imaginação é muito bonita até o verso 3. Porém, há uma mudança no “caminho” descrito pelo salmista no verso 4. As colinas verdejantes dão lugar a um vale de trevas e morte.
Preciso me deter um pouco aqui para falar sobre vales... Eles existem na caminhada com Deus. Estes acidentes geográficos são a representação de tempos difíceis. Eles são cercados por montes e colinas. São lugares baixos. A perspectiva que se tem no vale é que tudo ao redor é tão grande e superior. A visão fica limitada. O caminho se torna tenso! Vale representa dias maus, tribulação e aflição.
Observe que as palavras do salmista no verso 4, ainda que retratem uma paisagem sombria, permanecem calmas. “Mesmo quando eu andar por um vale de trevas e morte, não temerei perigo algum, pois tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me protegem”. (NVI)
Aqui há outro aspecto familiar para Davi. Outra “paisagem” que ele conhecia e podia falar com propriedade.
Qual a história mais conhecida deste homem? Acertou se respondeu: Davi e Golias. Qual foi o cenário deste confronto? Isto mesmo, um vale – O Vale do Carvalho.
Na bíblia sagrada encontramos várias passagens sobre vales.
Uma destas passagens fala sobre o Vale da Bênção ou Vale de Bereca. Está no livro de II Cr 20. Os povos de Amon e Moabe foram contra o rei Josafá para enfrenta-los em peleja. Os exércitos eram desproporcionais e o povo de Deus estava em desvantagem. Não havia nada que fazer, mas eles decidiram confiar em Deus. Neste vale o rei Josafá deu uma voz de comando para seu povo. Sabe qual foi? Louvai ao Senhor! No Vale de Bereca houve louvor e regozijo depois que os amonitas e moabitas foram derrotados pela intervenção de Deus.
Outra passagem muito conhecida é sobre o Vale de ossos secos. Ez 37. O profeta foi conduzido pelo Espírito do Senhor àquele vale. O Senhor pergunta ao profeta Ezequiel se aqueles ossos poderiam voltar a vida ao que ele responde: Tu sabes. Então o Espirito do Senhor dá uma voz de comando naquele vale: Profetiza!
O salmista obteve vitória no vale (ele foi contra Golias no nome do Senhor), o rei Josafá e seu povo obtiveram vitória no vale (através do louvor) e o profeta viu ossos retornando a vida no vale (porque profetizou segundo a palavra do Senhor). 
Esta “paisagem” no caminhar com Deus pode ser sombria e tenebrosa, mas o Senhor é nosso pastor. Ele é Deus dos montes e dos Vales. 
Ele estando conosco podemos nos assegurar que nos protegerá!  

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O que aprendo com a gazela?

Convidada para pregar no culto de encerramento das atividades (2013) do grupo Dorcas (grupo de mulheres da AIDB-Uberlândia), me senti motivada a estudar a história desta personagem bíblica que inspirou o nome do grupo. Quem foi Dorcas? O que seu nome significa? Quais seus valores? Porque sua história motiva outras mulheres que trabalham na obra do Senhor?
O nome apresentado na história bíblica é Tabita e sua história é apresentada no contexto de sua morte. Estranho, não?
A narrativa se encontra no livro de Atos, cap.9 à partir do verso 36. E assim começa a descrição dos fatos: “E havia em Jope uma discípula chamada Tabita, que traduzido se diz Dorcas. Esta estava cheia de boas obras e esmolas que fazia. E aconteceu naqueles dias que, enfermando ela, morreu; e, tendo-a lavado, a depositaram num quarto alto”.
Para um “leitor dinâmico” estes dois versos resume toda a história. A mulher existiu, era uma mulher de boas obras, ficou doente e morreu (ponto!). Porém estes dois versos mostram ape…

Encontre a resposta!

Palavras e imagens sempre foram objetos da minha curiosidade. Talvez esta seja a razão porque gosto de fazer palavras cruzadas, montar quebra-cabeça e resolver exercícios de lógica.  Recentemente me vi num entrave com um exercício de lógica. Quatro imagens propunham uma palavra com seis letras. A primeira imagem era de um ovo, a segunda de um bolo de aniversário, a terceira de um cachorro e a última de uma prateleira de sapatos. Fiquei por muito tempo tentando achar a lógica daquele exercício. O que tem em comum um ovo, um bolo, um cachorro e sapatos?  Tentei várias palavras e nada. Deixei o exercício de lado por algumas vezes na esperança de voltar com uma solução. ‘Quebrei a cabeça’ com aquele enigma. Estava procurando uma ligação das imagens até perceber que a lógica estava na cor e não nas imagens em si. Mudei o foco para a cor e facilmente preenchi os espaços com as letras. Interessante como fixamos os olhos no problema e deixamos de perceber a solução bem diante dos nossos olhos. Nã…

Falando sobre "Lagar"

O que Gideão fazia no lagar? Se sua resposta foi diferente de "malhando trigo" acho que não está familiarizado com a história deste homem, pois, era exatamente isso que ele estava fazendo. Mas... para que serve um lagar? Afinal de contas... onde é que se malha o trigo? Bem, não me incomodo se essas perguntas nunca lhe passaram pela cabeça. Porém, desde minha última postagem no blog tenho meditado sobre essa passagem bíblica. O lugar correto para se malhar trigo chama-se Eira que segundo o dicionário quer dizer: extensão de terreno limpo e batido, ou lajeado, onde se secam, malham, trilham e limpam cereais e legumes; Sabe porque Gideão preferiu malhar o trigo num lagar? Ele não estava disposto a perder o seu sustento para os Midianitas. Por algum tempo os midianitas consumiam todo o alimento produzido pelos israelitas. Não somente as suas plantações eram destruídas mas também o seu rebanho. Muito bem, vamos voltar ao lagar... Segundo o dicionário lagar é: tanque onde se espremem ou p…