segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Identificação


Pouco antes de fazer minha primeira viagem de avião, li um comentário sobre a identificação de bagagem. A pessoa falava sobre a dificuldade de reconhecer as malas uma vez que há muita semelhança entre elas. Cores, tamanhos e modelos se misturam passando pela esteira, o que requer atenção e certa agilidade para retirá-las. Preocupação desnecessária na verdade. Porém naquele momento de ansiedade pelo novo, prestei atenção.
Algum tempo depois numa aula da pós-graduação, Competências das Imagens, falávamos do mesmo assunto e foi citada a linha de bagagem que leva a assinatura do artista Romero Britto. Todos concordaram que a identificação destas é muito mais fácil por conta das cores vivas e traços identificáveis a longa distância.
Neste fim de semana me lembrei deste assunto quando uma pessoa fez uma observação sobre minha mala. Ela é vermelha, tem meu nome em baixo, um lencinho estampado na alça e pequenos adesivos de estrelas na frente. Claro que uma Louis Vuitton dispensaria qualquer badulaque destes. Kkkk...
O importante nessa história toda é a identificação. Não importa o que se tem dentro da bagagem, na esteira o que conta é a aparência. É através da identificação que se pode evitar o extravio e suas implicações. O número de registro nela adesivado não é como a estampa do artista Romero Britto que se pode ver de longe, mas os apetrechos são facilitadores.
Cada um de nós tem aspectos que identifica quem somos; a que grupo pertencemos. Somos como bagagem na esteira da vida. Há muita semelhança na aparência, mas alguns detalhes fazem toda a diferença. Estes detalhes dão conta do que se é por dentro e não o contrário.
Pense nisso...

Um comentário:

Débora Polycarpo disse...

Muito interessante!!!!!!