Pular para o conteúdo principal

De olho no rugby

Venho observando de muito longe o rugby. É um esporte violento aos meus olhos e bastante complexo. Porém não é o jogo em si que me chama tanto a atenção, mas um episódio que acontece antes das partidas quando a equipe da Nova Zelândia entra em cena. Os All-Blacks são conhecidos por sua agressividade, espírito guerreiro e claro, pela dança exibida antes das partidas diante dos oponentes; o “Haka”.
Trata-se de uma tradição dos maoris, antigos habitantes das ilhas neozelandesas, que foi incorporada no esporte por traduzir paixão, vigor e identidade. Dá-se aos berros e gestos frenéticos com a intenção de inibir os adversários, exibir força e determinação. Puxada pelo mais velho da equipe e repetido pelos demais componentes o Haka é um autentico grito de guerra.
Percebi que a dança dos All-Blacks podem mesmo inibir uma equipe adversária desencorajar alguns bons competidores e tornar a vitória mais fácil. Porém, outras equipes os vencem ignorando completamente o Haka. Encaram o desafio pela confiança, força, determinação e competência. Não é a ferocidade do adversário e sua exibição de poder que torna a derrota uma impossibilidade.
Sabe, muitas vezes nos deparamos com uma diversidade de Haka.
São desafios da vida bem ali a nossa frente exibindo toda sua força e agressividade. 
Querem inibir nossa coragem, frear nossa determinação e estão sempre apontando o lado negro das oportunidades.
Assim como no esporte, a vida é muito curta para se deixar levar pela inibição. 
O cronômetro não para e as oportunidades são únicas.
Quem vencerá?

Comentários

Anônimo disse…
Oi Daphenne muito enteressante sua postagem,posso dizer que ela me animou,me deu coragem e forças,quando a li!
Um abraço que Deus continue te usando...
Jéssica L. Dias-Itapecerica
Cara Daphnne antes que ano termine que deixar meu comentário, rsrsrsrsrsr!!!Obrigada!!! Obrigada por cada postagem que nos transmitiu algo bom, algo forte, algo de Deus. Obrigada, por sua valentia e coragem de dizer o que sente e pensa e assim nos fazer mudar de opinião, as vezes, ou então dar validade aquilo que acreditamos.Obrigada, por seu livro público, porque assim nos sentimos mais confiantes em prosseguir na realização de nossos sonhos.Sei que você está rumando para realizar um novo sonho e como se é de esperar será mais uma grande conquista dá qual poderemos, de alguma forma, compartilhar com você. Então, que você seja muito feliz, que vença todos os desafios nesta mesma força que tem batalhado até aqui. Que deixe pelo caminho os rastros de uma pessoa que sabe muito bem onde quer chegar. Que Deus continue no centro de sua vida e que você tenha sempre tempo de compartilhar com os outros suas reflexões vindas dos céus. Um 2012 abençoadíssimo pra você. Abraços

Postagens mais visitadas deste blog

O que aprendo com a gazela?

Convidada para pregar no culto de encerramento das atividades (2013) do grupo Dorcas (grupo de mulheres da AIDB-Uberlândia), me senti motivada a estudar a história desta personagem bíblica que inspirou o nome do grupo. Quem foi Dorcas? O que seu nome significa? Quais seus valores? Porque sua história motiva outras mulheres que trabalham na obra do Senhor?
O nome apresentado na história bíblica é Tabita e sua história é apresentada no contexto de sua morte. Estranho, não?
A narrativa se encontra no livro de Atos, cap.9 à partir do verso 36. E assim começa a descrição dos fatos: “E havia em Jope uma discípula chamada Tabita, que traduzido se diz Dorcas. Esta estava cheia de boas obras e esmolas que fazia. E aconteceu naqueles dias que, enfermando ela, morreu; e, tendo-a lavado, a depositaram num quarto alto”.
Para um “leitor dinâmico” estes dois versos resume toda a história. A mulher existiu, era uma mulher de boas obras, ficou doente e morreu (ponto!). Porém estes dois versos mostram ape…

Encontre a resposta!

Palavras e imagens sempre foram objetos da minha curiosidade. Talvez esta seja a razão porque gosto de fazer palavras cruzadas, montar quebra-cabeça e resolver exercícios de lógica.  Recentemente me vi num entrave com um exercício de lógica. Quatro imagens propunham uma palavra com seis letras. A primeira imagem era de um ovo, a segunda de um bolo de aniversário, a terceira de um cachorro e a última de uma prateleira de sapatos. Fiquei por muito tempo tentando achar a lógica daquele exercício. O que tem em comum um ovo, um bolo, um cachorro e sapatos?  Tentei várias palavras e nada. Deixei o exercício de lado por algumas vezes na esperança de voltar com uma solução. ‘Quebrei a cabeça’ com aquele enigma. Estava procurando uma ligação das imagens até perceber que a lógica estava na cor e não nas imagens em si. Mudei o foco para a cor e facilmente preenchi os espaços com as letras. Interessante como fixamos os olhos no problema e deixamos de perceber a solução bem diante dos nossos olhos. Nã…

Falando sobre "Lagar"

O que Gideão fazia no lagar? Se sua resposta foi diferente de "malhando trigo" acho que não está familiarizado com a história deste homem, pois, era exatamente isso que ele estava fazendo. Mas... para que serve um lagar? Afinal de contas... onde é que se malha o trigo? Bem, não me incomodo se essas perguntas nunca lhe passaram pela cabeça. Porém, desde minha última postagem no blog tenho meditado sobre essa passagem bíblica. O lugar correto para se malhar trigo chama-se Eira que segundo o dicionário quer dizer: extensão de terreno limpo e batido, ou lajeado, onde se secam, malham, trilham e limpam cereais e legumes; Sabe porque Gideão preferiu malhar o trigo num lagar? Ele não estava disposto a perder o seu sustento para os Midianitas. Por algum tempo os midianitas consumiam todo o alimento produzido pelos israelitas. Não somente as suas plantações eram destruídas mas também o seu rebanho. Muito bem, vamos voltar ao lagar... Segundo o dicionário lagar é: tanque onde se espremem ou p…