Pular para o conteúdo principal

Não Fixe os Olhos no Sino (Leitura de Agosto - Concluída)

Eles seguiram diretamente de volta ao moedor, tocaram o sino do lado de fora do escritório da primeira fase e entregaram seus capacetes, colocando-os perfilados, do lado de fora da porta do oficial em comando. É assim que se dá o ritual de saída na primeira fase.”
Extraído do livro O único sobrevivente de Marcus Luttrell com Patrick Robinson

Faz algum tempo que ouvi sobre esse “ritual de saída” com o ato de tocar o sino.
Achei interessante a expressão “tocar o sino”.
Se houvesse um sino real para cada desafio, poderíamos ouvi-lo repetidas vezes todos os dias.

Histórias de guerras são tristes, mas ao mesmo tempo implicam honra, respeito, integridade e reputação. Esse livro é uma narrativa pessoal sobre guerra.

Como já mencionei em outro post a história relata os treinamentos dos Seal’s (Comando Naval de Operações Especiais da Marinha dos Estados Unidos). São treinamentos rigorosos de resistências físicas e emocionais.

O que mais chama a atenção é o estágio em que os que “tocaram o sino” chegaram. Eles avançaram muito nos treinamentos. Resistiram muito. Mantiveram suas mentes focadas por muito tempo. Suportaram muitas pressões. Eles eram bons; Ótimos. Mas, num determinado momento, o sino foi a resposta que puderam dar. Desistiram.

Nossa caminhada na vida está repleta de desafios que aparecem “sem cerimônia”. Duas opções estarão disponíveis, enfrentá-los ou “tocar o sino”.
O que faremos? Seguiremos sempre ou resistiremos depois de havermos avançado muito?
Que Deus nos ajude a tomarmos a decisão certa!

Comentários

a paz do senhor... agradeço pelo comentário feito em nosso blog a respeito da guerra de tomates, a irma tambem escreve de uma forma interessante que Deus o abençoe.

Pastor Gessé Guimaraes de Moraes.
Eu acredito que, na maioria das vezes, aqueles que tocaram o sino seguraram as pontas até não suportarem mais, para não ficar pior do que já estava. Mas, sabemos que tocar o sino é a pior das derrotas. Sei que não tocá-lo também requer força, determinação, coragem. Foco. E focar aquilo que se espera alcança, independente daquilo que está acontecendo no momento, requer algo sobrenatural.
O sino é uma armadilha, pois dá a sensação de liberdade daquilo que causava sofrimento, no entanto, depois de tocá-lo a tortura será pior. A culpa vai torná-lo escravo de sentimentos que corroem a alma.
Com certeza, em algum momento da nossa vida o sino será um chamarisco. Mas, vale à pena resistir. Permanecer com os olhos fixos na reta final.
Abraços!!!

Postagens mais visitadas deste blog

O que aprendo com a gazela?

Convidada para pregar no culto de encerramento das atividades (2013) do grupo Dorcas (grupo de mulheres da AIDB-Uberlândia), me senti motivada a estudar a história desta personagem bíblica que inspirou o nome do grupo. Quem foi Dorcas? O que seu nome significa? Quais seus valores? Porque sua história motiva outras mulheres que trabalham na obra do Senhor?
O nome apresentado na história bíblica é Tabita e sua história é apresentada no contexto de sua morte. Estranho, não?
A narrativa se encontra no livro de Atos, cap.9 à partir do verso 36. E assim começa a descrição dos fatos: “E havia em Jope uma discípula chamada Tabita, que traduzido se diz Dorcas. Esta estava cheia de boas obras e esmolas que fazia. E aconteceu naqueles dias que, enfermando ela, morreu; e, tendo-a lavado, a depositaram num quarto alto”.
Para um “leitor dinâmico” estes dois versos resume toda a história. A mulher existiu, era uma mulher de boas obras, ficou doente e morreu (ponto!). Porém estes dois versos mostram ape…

Encontre a resposta!

Palavras e imagens sempre foram objetos da minha curiosidade. Talvez esta seja a razão porque gosto de fazer palavras cruzadas, montar quebra-cabeça e resolver exercícios de lógica.  Recentemente me vi num entrave com um exercício de lógica. Quatro imagens propunham uma palavra com seis letras. A primeira imagem era de um ovo, a segunda de um bolo de aniversário, a terceira de um cachorro e a última de uma prateleira de sapatos. Fiquei por muito tempo tentando achar a lógica daquele exercício. O que tem em comum um ovo, um bolo, um cachorro e sapatos?  Tentei várias palavras e nada. Deixei o exercício de lado por algumas vezes na esperança de voltar com uma solução. ‘Quebrei a cabeça’ com aquele enigma. Estava procurando uma ligação das imagens até perceber que a lógica estava na cor e não nas imagens em si. Mudei o foco para a cor e facilmente preenchi os espaços com as letras. Interessante como fixamos os olhos no problema e deixamos de perceber a solução bem diante dos nossos olhos. Nã…

Falando sobre "Lagar"

O que Gideão fazia no lagar? Se sua resposta foi diferente de "malhando trigo" acho que não está familiarizado com a história deste homem, pois, era exatamente isso que ele estava fazendo. Mas... para que serve um lagar? Afinal de contas... onde é que se malha o trigo? Bem, não me incomodo se essas perguntas nunca lhe passaram pela cabeça. Porém, desde minha última postagem no blog tenho meditado sobre essa passagem bíblica. O lugar correto para se malhar trigo chama-se Eira que segundo o dicionário quer dizer: extensão de terreno limpo e batido, ou lajeado, onde se secam, malham, trilham e limpam cereais e legumes; Sabe porque Gideão preferiu malhar o trigo num lagar? Ele não estava disposto a perder o seu sustento para os Midianitas. Por algum tempo os midianitas consumiam todo o alimento produzido pelos israelitas. Não somente as suas plantações eram destruídas mas também o seu rebanho. Muito bem, vamos voltar ao lagar... Segundo o dicionário lagar é: tanque onde se espremem ou p…