Pular para o conteúdo principal

Por Causa do "Mailing"

[telefone toca]

- Alô!?

- Sra. (…)?

- Sou eu, pois não?

- Aqui quem fala é...

Ah, não! Tinha que ser uma ligação de Call Center?

Escuto com impaciência a pessoa do outro lado lendo apressadamente o script fornecido pela empresa.

- (Sra. ...)Devido ao seu bom relacionamento comercial a sra. ...

De onde surgiu essa idéia de “bom relacionamento comercial” e porque essa insistência de manter um script tão mecânico?

Imagino aqui com meus botões que um bom relacionamento comercial é aquele em que o cliente se torna “fiel” às empresas de seu interesse. Cria um vínculo comercial através de compras por crédito. Compra com muita freqüência e paga em dias suas faturas.

Dificilmente um cliente que não possui um crediário conseguirá estabelecer algum vínculo com empresas. Além do mais, compras à vista têm o respaldo de descontos, o que não agrada o empreendedor.

A leitura atropelada do script continua até que para meu alívio surge uma pausa.

Escuto a respiração ofegante da pessoa do outro lado da linha seguida de uma pergunta atrevida:

- (Sra. ...) O endereço de entrega do cartão é...

Epa! Espere aí! Agora vem o pior...

Tenho que vencer todos os argumentos descritos no script para me livrar de um produto que eu não quero e de uma ligação que eu não quis receber, tudo isso claro com muita educação afinal sou uma pessoa civilizada.

Pergunto pelo nome do funcionário (a essas alturas só conseguiria chamá-lo de senhor) e faço minha primeira tentativa de descartar a “extraordinária oferta”.

Dou minhas razões e novamente escuto argumentos lidos. Pareço ouvir um robô repetindo frases prontas.

Sei que do outro lado está um funcionário cumprindo com sua obrigação; tentando colocar o lema da empresa em atividade transformando suas ligações numa central de relacionamentos com clientes embora a única coisa que ele consegue fazer é me irritar.

Escuto. É a única coisa educada que posso fazer.

Ao final da leitura vem a pergunta:

- Alguma dúvida?

(- Sim! Quem foi que te passou meu telefone?)

Penso nessa opção de resposta, mas seria muita grosseria da minha parte.

Respiro fundo, respondo com educação e finalmente os argumentos acabam.

Despedimos-nos cordialmente na certeza de que em breve voltaremos a nos falar afinal meu nome e telefone consta no mailing da empresa.

Comentários

André Rodrigues disse…
Tem como ficar pior? Tem, quando te ligam pra dizer: "Sr(a), ainda não consta em nossos sistemas o pagamento de sua fatura do cartão de crédito referente à taxa de anuidade vencida há 30 dias." "Mas eu nem tenho cartão de crédito, ora!" rsrsrsrs. Meus 2 anos de telemarketing me renderam muitos clientes 'bravos', que não eram tããão civilizados assim kkkkkkkk.

Boa mensagem rsrs.
Josilene disse…
É...concordo com o André, tem como ficar pior sim!!!kkkk
E...para piorar ainda mais...imagine quando esse tipo de ligação não se limita a uma vez por dia??? Meu Deus...tem que ser muito civilizado!!!kkkk

Abraço

Postagens mais visitadas deste blog

O que aprendo com a gazela?

Convidada para pregar no culto de encerramento das atividades (2013) do grupo Dorcas (grupo de mulheres da AIDB-Uberlândia), me senti motivada a estudar a história desta personagem bíblica que inspirou o nome do grupo. Quem foi Dorcas? O que seu nome significa? Quais seus valores? Porque sua história motiva outras mulheres que trabalham na obra do Senhor?
O nome apresentado na história bíblica é Tabita e sua história é apresentada no contexto de sua morte. Estranho, não?
A narrativa se encontra no livro de Atos, cap.9 à partir do verso 36. E assim começa a descrição dos fatos: “E havia em Jope uma discípula chamada Tabita, que traduzido se diz Dorcas. Esta estava cheia de boas obras e esmolas que fazia. E aconteceu naqueles dias que, enfermando ela, morreu; e, tendo-a lavado, a depositaram num quarto alto”.
Para um “leitor dinâmico” estes dois versos resume toda a história. A mulher existiu, era uma mulher de boas obras, ficou doente e morreu (ponto!). Porém estes dois versos mostram ape…

Encontre a resposta!

Palavras e imagens sempre foram objetos da minha curiosidade. Talvez esta seja a razão porque gosto de fazer palavras cruzadas, montar quebra-cabeça e resolver exercícios de lógica.  Recentemente me vi num entrave com um exercício de lógica. Quatro imagens propunham uma palavra com seis letras. A primeira imagem era de um ovo, a segunda de um bolo de aniversário, a terceira de um cachorro e a última de uma prateleira de sapatos. Fiquei por muito tempo tentando achar a lógica daquele exercício. O que tem em comum um ovo, um bolo, um cachorro e sapatos?  Tentei várias palavras e nada. Deixei o exercício de lado por algumas vezes na esperança de voltar com uma solução. ‘Quebrei a cabeça’ com aquele enigma. Estava procurando uma ligação das imagens até perceber que a lógica estava na cor e não nas imagens em si. Mudei o foco para a cor e facilmente preenchi os espaços com as letras. Interessante como fixamos os olhos no problema e deixamos de perceber a solução bem diante dos nossos olhos. Nã…

Falando sobre "Lagar"

O que Gideão fazia no lagar? Se sua resposta foi diferente de "malhando trigo" acho que não está familiarizado com a história deste homem, pois, era exatamente isso que ele estava fazendo. Mas... para que serve um lagar? Afinal de contas... onde é que se malha o trigo? Bem, não me incomodo se essas perguntas nunca lhe passaram pela cabeça. Porém, desde minha última postagem no blog tenho meditado sobre essa passagem bíblica. O lugar correto para se malhar trigo chama-se Eira que segundo o dicionário quer dizer: extensão de terreno limpo e batido, ou lajeado, onde se secam, malham, trilham e limpam cereais e legumes; Sabe porque Gideão preferiu malhar o trigo num lagar? Ele não estava disposto a perder o seu sustento para os Midianitas. Por algum tempo os midianitas consumiam todo o alimento produzido pelos israelitas. Não somente as suas plantações eram destruídas mas também o seu rebanho. Muito bem, vamos voltar ao lagar... Segundo o dicionário lagar é: tanque onde se espremem ou p…