Pular para o conteúdo principal

Bagagem I

Setembro é o mês em que “A Igreja de Deus no Brasil” se reúne para uma grande festa pentecostal; O Encontro Apostólico de Fogo e Santidade.

Este encontro tem coincidido com o “11 de setembro” e não é necessário ser um norte americano para lembrar-se desta data com temor e assombro.

Os acontecimentos deste dia no ano de 2001 foi algo muito marcante e certamente provocou muitas mudanças não somente nos EUA como no mundo todo.

Enquanto ouvia o pastor Jonathan no domingo pela manhã pude ser conduzida a uma perspectiva realmente muito interessante sobre esse acontecimento.

Ele falava sobre o aspecto estrutural daquelas torres destruídas nos ataques terroristas.

Aquele tipo de construção foi devidamente estruturada para suportar acidentes de grandes proporções como acidentes aéreos.

Entendendo um pouco dos processos de concepção de um projeto arquitetônico tudo leva a crer que não foram poucos os cuidados com suposições de perigo com relação àquelas torres.

Elas estavam muito bem estruturadas.

Mas o que o mundo viu foi algo tremendamente assustador. Os terroristas usaram aviões enormes (modelo Boeing 767) que é um avião muito grande, e são usados para vôos de maiores distâncias, como internacionais, e com mais passageiros. Os aviões escolhidos naquele dia, iam atravessar o país inteiro, do oceano Atlântico até o Pacífico, uns 6,000 kms, e assim estavam carregando muito combustível.

O impacto dos aviões com as torres não foi suficiente para derrubá-las de imediato graças a boa estrutura (já cuidadosamente estabelecida) que elas tinham.

Mas, o fogo causado pela explosão das aeronaves aqueceu as ferragens da estrutura.

Quando o aço e ferro foram aquecidos já não podiam suportar o peso da estrutura e então as torres caíram.

As imagens desse acontecimento foram vistas no mundo inteiro por diversas vezes.

Vi muitas fotos, notícias de jornal, imagens “ao vivo”, mas nunca tinha analisado o fato por esta perspectiva das estruturas.

Estruturas Resistentes!

Quão importante é ter uma boa estrutura familiar, cristã e moral.

Muitas famílias não têm suportado os ataques malignos sobre si, como será que andam suas estruturas?

Só dizer que é cristão não é uma estrutura suficiente para resistir os dias maus.

É preciso estar fundamentado em Cristo, a Rocha Eternal. A igreja precisa estar em Jesus para que possa estar guardada por uma tão grande promessa: contra ela as portas do inferno não prevalecerão (Mt 16:18)!

Obrigada meu amigo Pastor Jonathan por esta tão boa reflexão!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O que aprendo com a gazela?

Convidada para pregar no culto de encerramento das atividades (2013) do grupo Dorcas (grupo de mulheres da AIDB-Uberlândia), me senti motivada a estudar a história desta personagem bíblica que inspirou o nome do grupo. Quem foi Dorcas? O que seu nome significa? Quais seus valores? Porque sua história motiva outras mulheres que trabalham na obra do Senhor?
O nome apresentado na história bíblica é Tabita e sua história é apresentada no contexto de sua morte. Estranho, não?
A narrativa se encontra no livro de Atos, cap.9 à partir do verso 36. E assim começa a descrição dos fatos: “E havia em Jope uma discípula chamada Tabita, que traduzido se diz Dorcas. Esta estava cheia de boas obras e esmolas que fazia. E aconteceu naqueles dias que, enfermando ela, morreu; e, tendo-a lavado, a depositaram num quarto alto”.
Para um “leitor dinâmico” estes dois versos resume toda a história. A mulher existiu, era uma mulher de boas obras, ficou doente e morreu (ponto!). Porém estes dois versos mostram ape…

Encontre a resposta!

Palavras e imagens sempre foram objetos da minha curiosidade. Talvez esta seja a razão porque gosto de fazer palavras cruzadas, montar quebra-cabeça e resolver exercícios de lógica.  Recentemente me vi num entrave com um exercício de lógica. Quatro imagens propunham uma palavra com seis letras. A primeira imagem era de um ovo, a segunda de um bolo de aniversário, a terceira de um cachorro e a última de uma prateleira de sapatos. Fiquei por muito tempo tentando achar a lógica daquele exercício. O que tem em comum um ovo, um bolo, um cachorro e sapatos?  Tentei várias palavras e nada. Deixei o exercício de lado por algumas vezes na esperança de voltar com uma solução. ‘Quebrei a cabeça’ com aquele enigma. Estava procurando uma ligação das imagens até perceber que a lógica estava na cor e não nas imagens em si. Mudei o foco para a cor e facilmente preenchi os espaços com as letras. Interessante como fixamos os olhos no problema e deixamos de perceber a solução bem diante dos nossos olhos. Nã…

Falando sobre "Lagar"

O que Gideão fazia no lagar? Se sua resposta foi diferente de "malhando trigo" acho que não está familiarizado com a história deste homem, pois, era exatamente isso que ele estava fazendo. Mas... para que serve um lagar? Afinal de contas... onde é que se malha o trigo? Bem, não me incomodo se essas perguntas nunca lhe passaram pela cabeça. Porém, desde minha última postagem no blog tenho meditado sobre essa passagem bíblica. O lugar correto para se malhar trigo chama-se Eira que segundo o dicionário quer dizer: extensão de terreno limpo e batido, ou lajeado, onde se secam, malham, trilham e limpam cereais e legumes; Sabe porque Gideão preferiu malhar o trigo num lagar? Ele não estava disposto a perder o seu sustento para os Midianitas. Por algum tempo os midianitas consumiam todo o alimento produzido pelos israelitas. Não somente as suas plantações eram destruídas mas também o seu rebanho. Muito bem, vamos voltar ao lagar... Segundo o dicionário lagar é: tanque onde se espremem ou p…