Pular para o conteúdo principal

A Fonte Não Secou

Você já teve a experiência de ter sede e não ter água para beber? Ou, ligar o chuveiro e não encontrar água para banhar-se? E ainda entrar no banheiro e não poder contar com água para descarga ou higiene das mãos?

Pois é, em qualquer destas situações a falta de água produz aflição.

Vivi essas experiências em minha viagem para o nordeste. Não acontece com freqüência, mas o fato é que estávamos em um grupo grande e por onde passávamos aumentávamos em um curto período de tempo o consumo da água do reservatório.

Eu não entendo o que acontece com nosso cérebro quando ele recebe a alerta de que há falta de água, mas o meu pelo menos se desespera.

Parece que tenho mais sede, aquele banho que foi adiado enquanto tinha água começa a me incomodar de maneira absurda e a minha bexiga parece encolher kkkkk. A impressão que tenho é que o alarme ecoa no cérebro ativando todo o corpo em busca de água. Fico aflita, ansiosa e não consigo parar de pensar em outra coisa se não em água.

Essas experiências fizeram me lembrar da mulher samaritana.

Havia acabado a água do seu reservatório em casa. Não havia mais água no cântaro. O jeito era ir ao poço e se reabastecer para que a inquietação física cessasse. Talvez sua boca já estivesse seca em busca de água ou seu corpo estivesse clamando por higiene, eu não sei. Mas eu entendo que só vai ao poço pessoa disposta ao sacrifício ou ao esforço físico de tirar água por necessidade. Poço não é lugar de passeio turístico. Poço não é praça de convivência. Poço é lugar onde se pode encontrar água e essa mulher samaritana tinha essa necessidade.

Talvez ao avistar um homem assentado no poço ela tenha se alegrado em pensar na possibilidade de ele oferecer a gentileza te tirar água para ela assim seu esforço físico seria menor.

Sua primeira surpresa foi saber que o homem era judeu. Depois ele pediu água. Surpresa dupla. Judeus não se davam com os samaritanos e ao invés de prestar ajuda o homem estava pedindo um favor. Dá-me de beber.

Pedir água para uma pessoa sedenta é realmente uma atitude intrigante.

Mas, Jesus sabia o que estava fazendo. Ele estava despertando o alarme na mente daquela mulher, fazendo com que seu corpo procurasse desesperadamente por água. Ele ainda fez mais, suas palavras vão alem do campo físico, produz reações na alma. A sede despertada naquela mulher ecoou na alma e não podia ser controlada. Tudo o que ela precisava era saciar sua sede. Ela estava no lugar certo para a necessidade física. Diante do poço. Estava no lugar certo para sua necessidade da alma, diante de Jesus. A água viva.

Conhecemos o diálogo de Jesus com a mulher samaritana, mas vale ressaltar.

Jesus disse: Se conheceras o dom de Deus, e quem é o que te pede: Dá-me de beber, tu lhe pedirias, e ele te daria água viva.

E ainda: Todo aquele que beber desta água ( a água do poço) tornará a ter sede (sede física), mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede. Deveras, a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água que jorre para a vida eterna.

Querido amigo e leitor, se sua sede hoje ultrapassa o campo físico, está ecoando na alma, como era o caso desta mulher samaritana, tenho uma boa notícia: A fonte de água viva não secou. Jesus ainda continua a oferecer desta água para você. Peça e ele dará.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O que aprendo com a gazela?

Convidada para pregar no culto de encerramento das atividades (2013) do grupo Dorcas (grupo de mulheres da AIDB-Uberlândia), me senti motivada a estudar a história desta personagem bíblica que inspirou o nome do grupo. Quem foi Dorcas? O que seu nome significa? Quais seus valores? Porque sua história motiva outras mulheres que trabalham na obra do Senhor?
O nome apresentado na história bíblica é Tabita e sua história é apresentada no contexto de sua morte. Estranho, não?
A narrativa se encontra no livro de Atos, cap.9 à partir do verso 36. E assim começa a descrição dos fatos: “E havia em Jope uma discípula chamada Tabita, que traduzido se diz Dorcas. Esta estava cheia de boas obras e esmolas que fazia. E aconteceu naqueles dias que, enfermando ela, morreu; e, tendo-a lavado, a depositaram num quarto alto”.
Para um “leitor dinâmico” estes dois versos resume toda a história. A mulher existiu, era uma mulher de boas obras, ficou doente e morreu (ponto!). Porém estes dois versos mostram ape…

Encontre a resposta!

Palavras e imagens sempre foram objetos da minha curiosidade. Talvez esta seja a razão porque gosto de fazer palavras cruzadas, montar quebra-cabeça e resolver exercícios de lógica.  Recentemente me vi num entrave com um exercício de lógica. Quatro imagens propunham uma palavra com seis letras. A primeira imagem era de um ovo, a segunda de um bolo de aniversário, a terceira de um cachorro e a última de uma prateleira de sapatos. Fiquei por muito tempo tentando achar a lógica daquele exercício. O que tem em comum um ovo, um bolo, um cachorro e sapatos?  Tentei várias palavras e nada. Deixei o exercício de lado por algumas vezes na esperança de voltar com uma solução. ‘Quebrei a cabeça’ com aquele enigma. Estava procurando uma ligação das imagens até perceber que a lógica estava na cor e não nas imagens em si. Mudei o foco para a cor e facilmente preenchi os espaços com as letras. Interessante como fixamos os olhos no problema e deixamos de perceber a solução bem diante dos nossos olhos. Nã…

Falando sobre "Lagar"

O que Gideão fazia no lagar? Se sua resposta foi diferente de "malhando trigo" acho que não está familiarizado com a história deste homem, pois, era exatamente isso que ele estava fazendo. Mas... para que serve um lagar? Afinal de contas... onde é que se malha o trigo? Bem, não me incomodo se essas perguntas nunca lhe passaram pela cabeça. Porém, desde minha última postagem no blog tenho meditado sobre essa passagem bíblica. O lugar correto para se malhar trigo chama-se Eira que segundo o dicionário quer dizer: extensão de terreno limpo e batido, ou lajeado, onde se secam, malham, trilham e limpam cereais e legumes; Sabe porque Gideão preferiu malhar o trigo num lagar? Ele não estava disposto a perder o seu sustento para os Midianitas. Por algum tempo os midianitas consumiam todo o alimento produzido pelos israelitas. Não somente as suas plantações eram destruídas mas também o seu rebanho. Muito bem, vamos voltar ao lagar... Segundo o dicionário lagar é: tanque onde se espremem ou p…