Pular para o conteúdo principal

IR e VIR de cada dia

Desde criança desfrutei da “companhia” de lápis e folhas de papel. Lembro-me que muitas noites registrava meus esboços enquanto esperava pelo bom sono e não foram poucas as vezes que acordava pela manhã tendo como travesseiro meus desenhos.

Os anos passaram, a tecnologia mudou meus hábitos de desenhos e escrita, mas continuo tendo meus lápis e papéis como bons aliados. São com eles que consigo registrar meus pensamentos, minhas primeiras idéias para um projeto e confesso, se não os tenho por perto fico (com o exagero da palavra) desarmada.

Pois bem, enquanto meus ouvidos tentavam captar as palavras do orador numa certa ocasião, meus pensamentos me conduziram à algumas passagens bíblicas. Foi então que “saquei” da bolsa os meus “aliados”.

Comecei a registrar meus pensamentos e...

Venha comigo...

Na passagem que Jesus ressuscitou Lázaro aconteceu que o milagre de ele sair do túmulo com vida (é claro) se deu quando a pedra foi removida. Portanto o ato de ele VIR só foi possível quando o impedimento (terreno) foi removido. Tirar a pedra não demandava nenhum milagre. Isso era uma ação terrena que foi observada antes de uma ação divina.

Em outra passagem Jesus se encontrou com a mulher samaritana no poço de Jacó enquanto ela desejava tirar água para si. Houve um diálogo naquele momento e a mulher se viu impelida a voltar à Samaria para anunciar a alegria de encontrar com o Cristo. Para a mulher Samaritana IR pelas ruas da cidade foi necessário deixar o cântaro porque com ele sua peregrinação para a propagação das boas novas se tornaria impossível, logo estaria cansada, precisaria parar e o percurso se faria enfadonho. Mais uma vez uma ação humana (a de deixar o cântaro e sair pelas ruas) veio antes de uma ação divina (a de salvar muitas almas).

Amigos, quando conseguimos compreender quais são os impedimentos para nosso IR e VIR precisamos deixá-los de lado. Milagres podem acontecer em nossas vidas. Porém remover os impedimentos demanda ações humanas. Podemos “tirar as pedras”. Podemos “deixar os cântaros”. Podemos “tomar as nossas camas e andar”, podemos “lavar os olhos”, podemos “mergulhar sete vezes”, podemos “repartir nossa riqueza”, podemos “pescar o peixe”...

Isso nos fará sair do lugar, será o nosso ponto de partida tanto para IR quanto para VIR.

Precisamos ter um olhar atento e um espírito sensível. Disposição para viver a mudança, deixar de lado o impedimento e avançar nossa carreira de fé, nossa carreira profissional, familiar, social...

Só assim presenciaremos os milagres que Deus tem por realizar em nossas vidas.

Anote isso em sua “caderneta” (se é que você também tenha uma) pode ser que precise dessas palavras a qualquer momento.

Tenha um ótimo dia!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O que aprendo com a gazela?

Convidada para pregar no culto de encerramento das atividades (2013) do grupo Dorcas (grupo de mulheres da AIDB-Uberlândia), me senti motivada a estudar a história desta personagem bíblica que inspirou o nome do grupo. Quem foi Dorcas? O que seu nome significa? Quais seus valores? Porque sua história motiva outras mulheres que trabalham na obra do Senhor?
O nome apresentado na história bíblica é Tabita e sua história é apresentada no contexto de sua morte. Estranho, não?
A narrativa se encontra no livro de Atos, cap.9 à partir do verso 36. E assim começa a descrição dos fatos: “E havia em Jope uma discípula chamada Tabita, que traduzido se diz Dorcas. Esta estava cheia de boas obras e esmolas que fazia. E aconteceu naqueles dias que, enfermando ela, morreu; e, tendo-a lavado, a depositaram num quarto alto”.
Para um “leitor dinâmico” estes dois versos resume toda a história. A mulher existiu, era uma mulher de boas obras, ficou doente e morreu (ponto!). Porém estes dois versos mostram ape…

Encontre a resposta!

Palavras e imagens sempre foram objetos da minha curiosidade. Talvez esta seja a razão porque gosto de fazer palavras cruzadas, montar quebra-cabeça e resolver exercícios de lógica.  Recentemente me vi num entrave com um exercício de lógica. Quatro imagens propunham uma palavra com seis letras. A primeira imagem era de um ovo, a segunda de um bolo de aniversário, a terceira de um cachorro e a última de uma prateleira de sapatos. Fiquei por muito tempo tentando achar a lógica daquele exercício. O que tem em comum um ovo, um bolo, um cachorro e sapatos?  Tentei várias palavras e nada. Deixei o exercício de lado por algumas vezes na esperança de voltar com uma solução. ‘Quebrei a cabeça’ com aquele enigma. Estava procurando uma ligação das imagens até perceber que a lógica estava na cor e não nas imagens em si. Mudei o foco para a cor e facilmente preenchi os espaços com as letras. Interessante como fixamos os olhos no problema e deixamos de perceber a solução bem diante dos nossos olhos. Nã…

Falando sobre "Lagar"

O que Gideão fazia no lagar? Se sua resposta foi diferente de "malhando trigo" acho que não está familiarizado com a história deste homem, pois, era exatamente isso que ele estava fazendo. Mas... para que serve um lagar? Afinal de contas... onde é que se malha o trigo? Bem, não me incomodo se essas perguntas nunca lhe passaram pela cabeça. Porém, desde minha última postagem no blog tenho meditado sobre essa passagem bíblica. O lugar correto para se malhar trigo chama-se Eira que segundo o dicionário quer dizer: extensão de terreno limpo e batido, ou lajeado, onde se secam, malham, trilham e limpam cereais e legumes; Sabe porque Gideão preferiu malhar o trigo num lagar? Ele não estava disposto a perder o seu sustento para os Midianitas. Por algum tempo os midianitas consumiam todo o alimento produzido pelos israelitas. Não somente as suas plantações eram destruídas mas também o seu rebanho. Muito bem, vamos voltar ao lagar... Segundo o dicionário lagar é: tanque onde se espremem ou p…