Pular para o conteúdo principal

Filosofando Sobre "Contexto"

Mencionei em uma das postagens anteriores a respeito do livro “Descubra Seus Pontos Fortes” e sua intenção de ajudar seus leitores a perceberem seus temas dominantes.

Um dos temas que o teste me apontou foi “Contexto”.

Parece ser totalmente sem propósito que alguém tenha nesse tema seu ponto forte. Afinal, qual a descrição desse tema?

Numa síntese, quem o tem olha para o passado para entender o presente, para predizer o futuro. Complexo, não?

Deixe-me tentar exemplificar utilizando mais uma vez o futebol.

Nesse momento o mundo tem voltado seus olhos para as grandes estrelas da Copa do Mundo, os jogadores, cujos talentos são supervalorizados. Cada país tem os seus melhores em destaque. O Brasil é um grande celeiro destes astros. O investimento nesse ramo a meu ver é exorbitante. Partindo deste ponto de vista acho que aqueles homens e mulheres que se dedicam neste esporte não merecem tanto assim.

Porém quando volto ao passado para analisar quem são estas estrelas, quais são as suas histórias, quais foram os seus motivos em escolher o esporte como profissão e de onde vieram, descubro que a maioria deles tem uma história de superação.

Significa que estas pessoas tinham tudo para desistir da vida, dos sonhos...

Viviam na pobreza, outros perderam entes queridos ainda muito criança, outros tiveram que começar a trabalhar muito cedo para ajudar no orçamento da família, outros tinham alguma deficiência física, outros simplesmente queriam provar pra si mesmos que eram capazes de seguir um caminho contrário ao fracasso.

Superação é isso. É ser superior em força, em valor e intensidade. É estar além do esperado. É Exceder as expectativas.

Então dentro do “contexto” da superação dos jogadores compreendo o valor dos seus trabalhos, dedicação e desempenho. É pesquisando no passado deles que consigo visualizar o tempo onde seus planos foram formulados e quais foram as suas intenções iniciais. Logo isso me faz ter uma nova perspectiva das estrelas do futebol.

Minha compreensão do hoje se torna mais clara quando encontro as respostas para minhas perguntas vasculhando o passado.

É assim também que consigo me adaptar ao trabalho, estreitar meus laços de amizade e firmar minha fé. Compreendendo o passado onde as fundações foram construídas. Isso por vezes é interpretado como desconfiança e fraqueza.

No entanto percebo o quanto este tema “contexto” é dominante em mim. É um fato nos meus relacionamentos, nas questões que envolvem um trabalho e tudo que é novo. Só a partir do passado é que o presente se torna compreensível e assim posso então com segurança traçar os meus objetivos futuros. Por isso, tanto questionamento. Necessidade de entender as fundações!

E quanto a você? Consegue compreender quais são seus temas dominantes? A primeira impressão referente ao novo permanece sempre a mesma com o passar do tempo? Quais são as questões que te fazem crescer e compreender o mundo ao seu redor?

Espero que todas essas palavras te ajudem a refletir sobre si e lhe conduza ao crescimento pessoal, espiritual e social.

Comentários

Miriam disse…
É manhinha sua cabeça voa a mil e me faz correr para te alcançar, (quando eu crescer quero ser como você, rsrs).
É interessante a palavra que você escolheu desta vez, na psicologia ela é fundamental e é a diferença entre o "normal e o patológico". Devemos antes de qualquer análise ou diagnóstico saber o contexto do paciente... Bem não somos modelados espiritualmente pelo contexto? Onde temos estado? Quem são nossos amigos, que ambientes frequentamos, onde a internet nos leva? O nosso contexto favorece um encontro diário com Deus? Um abraço, Miriam

Postagens mais visitadas deste blog

O que aprendo com a gazela?

Convidada para pregar no culto de encerramento das atividades (2013) do grupo Dorcas (grupo de mulheres da AIDB-Uberlândia), me senti motivada a estudar a história desta personagem bíblica que inspirou o nome do grupo. Quem foi Dorcas? O que seu nome significa? Quais seus valores? Porque sua história motiva outras mulheres que trabalham na obra do Senhor?
O nome apresentado na história bíblica é Tabita e sua história é apresentada no contexto de sua morte. Estranho, não?
A narrativa se encontra no livro de Atos, cap.9 à partir do verso 36. E assim começa a descrição dos fatos: “E havia em Jope uma discípula chamada Tabita, que traduzido se diz Dorcas. Esta estava cheia de boas obras e esmolas que fazia. E aconteceu naqueles dias que, enfermando ela, morreu; e, tendo-a lavado, a depositaram num quarto alto”.
Para um “leitor dinâmico” estes dois versos resume toda a história. A mulher existiu, era uma mulher de boas obras, ficou doente e morreu (ponto!). Porém estes dois versos mostram ape…

Encontre a resposta!

Palavras e imagens sempre foram objetos da minha curiosidade. Talvez esta seja a razão porque gosto de fazer palavras cruzadas, montar quebra-cabeça e resolver exercícios de lógica.  Recentemente me vi num entrave com um exercício de lógica. Quatro imagens propunham uma palavra com seis letras. A primeira imagem era de um ovo, a segunda de um bolo de aniversário, a terceira de um cachorro e a última de uma prateleira de sapatos. Fiquei por muito tempo tentando achar a lógica daquele exercício. O que tem em comum um ovo, um bolo, um cachorro e sapatos?  Tentei várias palavras e nada. Deixei o exercício de lado por algumas vezes na esperança de voltar com uma solução. ‘Quebrei a cabeça’ com aquele enigma. Estava procurando uma ligação das imagens até perceber que a lógica estava na cor e não nas imagens em si. Mudei o foco para a cor e facilmente preenchi os espaços com as letras. Interessante como fixamos os olhos no problema e deixamos de perceber a solução bem diante dos nossos olhos. Nã…

Falando sobre "Lagar"

O que Gideão fazia no lagar? Se sua resposta foi diferente de "malhando trigo" acho que não está familiarizado com a história deste homem, pois, era exatamente isso que ele estava fazendo. Mas... para que serve um lagar? Afinal de contas... onde é que se malha o trigo? Bem, não me incomodo se essas perguntas nunca lhe passaram pela cabeça. Porém, desde minha última postagem no blog tenho meditado sobre essa passagem bíblica. O lugar correto para se malhar trigo chama-se Eira que segundo o dicionário quer dizer: extensão de terreno limpo e batido, ou lajeado, onde se secam, malham, trilham e limpam cereais e legumes; Sabe porque Gideão preferiu malhar o trigo num lagar? Ele não estava disposto a perder o seu sustento para os Midianitas. Por algum tempo os midianitas consumiam todo o alimento produzido pelos israelitas. Não somente as suas plantações eram destruídas mas também o seu rebanho. Muito bem, vamos voltar ao lagar... Segundo o dicionário lagar é: tanque onde se espremem ou p…