Pular para o conteúdo principal

Quanto Você Sabe?

Depois de dois anos voltei. Já havia perdido o costume de me assentar numa sala de aula para estudar.
Impressionante como a gente se acomoda né?
Dessa vez nada de cálculos ou desenhos. O negócio agora é inglês.
Meu Deus!
A última vez que estudei esse idioma foi no meu ensino médio. Fazia dez anos que não ouvia falar do verbo “to be”, e de repente lá estava ele na lousa branca da sala de aula. Senti-me como um nenê aprendendo o (gu-gu-dá-dá) do inglês.
Agora aqui com um mês de aprendizado percebo o quanto tenho a aprender.
Postei recentemente uma frase de Sydney J. Harris que mostra a grandeza do homem em reconhecer que não sabe nada ou o quanto necessita aprender.
Como é importante para o aprendizado esse reconhecimento...
O escritor e conferencista John C Maxwell escreve a esse respeito. Ele diz que o reconhecimento dá abertura para o aprendizado.
Obviamente os dois estão certos em suas conclusões.
Não conseguimos absorver conhecimento se não damos abertura para o aprendizado e uma evidência disso é quando nos orgulhamos do que já temos aprendido.
Observo o quanto é ruim conviver ou compartilhar algum espaço com pessoas que contam vantagens do que sabem ou julgam saber.
São ignorantes e oponentes.
Facilmente expõe o quanto são orgulhosos e fechados para o aprendizado.
Afastam as pessoas de si pela arrogância e perdem a oportunidade de ser agradáveis. Infelizmente este defeito é facilmente exposto, como todo defeito, enquanto é preciso tempo e convivência para aflorar qualidades.
Humildade para o aprendizado vem de um exercício contínuo e é o que tenho buscado. Reconheço que preciso aprender... seja o idioma inglês, seja conviver, seja o quanto não sei nada. Na fé também é necessário esse reconhecimento.
Precisamos nos humilhar (e eu estou dizendo de NÓS) e reconhecer que não aprendemos tudo acerca de Deus...
Não aprendemos tudo acerca de dons...
Não aprendemos tudo acerca de autoridade...
Não aprendemos tudo acerca de igreja...
Ainda há muito que aprender.
Enquanto nos fecharmos para o aprendizado e mantermos uma postura arrogante...
NADA vai mudar em nosso viver.
Simplesmente porque aprendizado precisa de espaço.
Se estivermos cheios de ego e arrogância, não haverá esse espaço para o saber.
O que faremos diante disso? Humilharemos-nos perante Deus? Enfrentaremos uma sala de aula?
Ou... Continuaremos como perdedores querendo reconhecimento de especialista quando na verdade não aprendemos nem mesmo o suficiente para saber que não sabemos nada?
Que Deus nos ajude!

Comentários

Lú... disse…
Cunhada do coração!!!!!!!

Ahhh! Que bom seria se todos NÓS pudéssemos como você aprender a retirar de cada situação de nossa vida uma boa reflexão para tentar ser melhor e crescer como ser humano e como servos de Deus!
Realmente poucos querem pagar o preço de "aprender" e com isso cresceriam de forma que as circunstâncias nem o tempo o mude, pois ninguém nos tira o que de fato aprendemos. Mas infelizmente a multidão de pessoas que querem reconhecimento é bem maior, sem pagar o preço, para "Aprender". E infelizmente se estes olharem pra si a maioria não saberá nem mesmo sua verdadeira identidade. Porque não existe são cópias. Talvez precisamos "aprender a nos conhecer". E o tempo vai passando...passando...E aí?? É bem melhor aprender hoje enquanto podemos!
Que o Senhor Jesus nos guarde em seu amor!

beijossssssssssssss
Lú...
André Rodrigues disse…
Paz do Senhor!

Excelente reflexão. Me chama a atenção a frase que vc escreveu: "aprender o suficiente para saber que não somos nada". Que jogue a primeira pedra aquele que tem todo o conhecimento. Certamente que, se formos sinceros, nenhum de nós terá tamanha ousadia!

Abraços, Andre Rodrigues.
(Ah, SP aguarda os Boanerges neh......... rsrs. Até lá.)
Realmente, aprender demanda boa vontade e boa dose de humildade. Coitado daquele que pensa que já aprendeu demais; demonstra assim que nem ao menos engatinha no caminho do conhecimento. É bem difícil conviver com pessoas que tem sempre na ponta da língua um "eu já sei!".
Tenhamos a sabedoria de sermos humildes , e essa só encontamos em Cristo Jesus.

Fique na Paz!

Sabrina Caetano

Postagens mais visitadas deste blog

O que aprendo com a gazela?

Convidada para pregar no culto de encerramento das atividades (2013) do grupo Dorcas (grupo de mulheres da AIDB-Uberlândia), me senti motivada a estudar a história desta personagem bíblica que inspirou o nome do grupo. Quem foi Dorcas? O que seu nome significa? Quais seus valores? Porque sua história motiva outras mulheres que trabalham na obra do Senhor?
O nome apresentado na história bíblica é Tabita e sua história é apresentada no contexto de sua morte. Estranho, não?
A narrativa se encontra no livro de Atos, cap.9 à partir do verso 36. E assim começa a descrição dos fatos: “E havia em Jope uma discípula chamada Tabita, que traduzido se diz Dorcas. Esta estava cheia de boas obras e esmolas que fazia. E aconteceu naqueles dias que, enfermando ela, morreu; e, tendo-a lavado, a depositaram num quarto alto”.
Para um “leitor dinâmico” estes dois versos resume toda a história. A mulher existiu, era uma mulher de boas obras, ficou doente e morreu (ponto!). Porém estes dois versos mostram ape…

Encontre a resposta!

Palavras e imagens sempre foram objetos da minha curiosidade. Talvez esta seja a razão porque gosto de fazer palavras cruzadas, montar quebra-cabeça e resolver exercícios de lógica.  Recentemente me vi num entrave com um exercício de lógica. Quatro imagens propunham uma palavra com seis letras. A primeira imagem era de um ovo, a segunda de um bolo de aniversário, a terceira de um cachorro e a última de uma prateleira de sapatos. Fiquei por muito tempo tentando achar a lógica daquele exercício. O que tem em comum um ovo, um bolo, um cachorro e sapatos?  Tentei várias palavras e nada. Deixei o exercício de lado por algumas vezes na esperança de voltar com uma solução. ‘Quebrei a cabeça’ com aquele enigma. Estava procurando uma ligação das imagens até perceber que a lógica estava na cor e não nas imagens em si. Mudei o foco para a cor e facilmente preenchi os espaços com as letras. Interessante como fixamos os olhos no problema e deixamos de perceber a solução bem diante dos nossos olhos. Nã…

Falando sobre "Lagar"

O que Gideão fazia no lagar? Se sua resposta foi diferente de "malhando trigo" acho que não está familiarizado com a história deste homem, pois, era exatamente isso que ele estava fazendo. Mas... para que serve um lagar? Afinal de contas... onde é que se malha o trigo? Bem, não me incomodo se essas perguntas nunca lhe passaram pela cabeça. Porém, desde minha última postagem no blog tenho meditado sobre essa passagem bíblica. O lugar correto para se malhar trigo chama-se Eira que segundo o dicionário quer dizer: extensão de terreno limpo e batido, ou lajeado, onde se secam, malham, trilham e limpam cereais e legumes; Sabe porque Gideão preferiu malhar o trigo num lagar? Ele não estava disposto a perder o seu sustento para os Midianitas. Por algum tempo os midianitas consumiam todo o alimento produzido pelos israelitas. Não somente as suas plantações eram destruídas mas também o seu rebanho. Muito bem, vamos voltar ao lagar... Segundo o dicionário lagar é: tanque onde se espremem ou p…