Pular para o conteúdo principal

Aprendendo com um Estadista de Coração

Tenho passado algum tempo “refletindo” sobre a história de Neemias, um estadista de coração, que deixou seu cargo de confiança no reinado de Artaxexes para retornar à cidade de seus pais a fim de reconstruir os muros que estavam em ruínas.
A notícia de que aquela cidade estava desprotegida despertou o cuidado por sua gente e o interesse de restabelecer a segurança em Jerusalém.
Neemias passou algum tempo orando, jejuando e planejando. Estudou o problema. Pautou seus desafios. Traçou metas. Pediu a Deus que lhe direcionasse naquele projeto.
Ao chegar em Jerusalém Neemias enfrentou três tipos de oposição e certamente quando estabelecemos metas também as enfrentamos.
A primeira oposição foi psicológica. Ele estava apenas rodeando a cidade e analisando a situação quando Sambalate e Tobias perceberam sua intenção. Começaram então a questioná-lo e insultá-lo com palavras de desânimo tentando saquear um sonho que ainda estava somente no pensamento.
Nesse momento Neemias anuncia seu objetivo e ao contrario de seus opositores incentiva os moradores de Jerusalém que se juntem a ele nessa empreitada. Ele expõe o plano com ânimo e apresenta possibilidades para um povo que havia deixado adormecer sua esperança. O plano passa do pensamento para a ação.
A obra começa, o ânimo se recobra na cidade e o primeiro momento é de êxito. O plano saiu do papel vencendo a oposição psicológica.
Quantas vezes encontramos Sambalate e Tobias querendo saquear nossos pensamentos? Eles vêm com palavras... Eles vêm com zombarias... Eles vêm com dúvidas e querem de qualquer maneira impedir que o sonho parta para o plano da ação.
Não satisfeitos com essa oposição e vendo que os muros já estavam pela metade, mudam suas estratégias. Querem guerrear, espalham terror fazendo enfraquecer os que trabalham na edificação.
Diante dessa segunda oposição no âmbito da ação Neemias sabe que é preciso continuar o trabalho e se preparar para uma possível batalha. O que faz então? Prepara os homens, os incentiva a continuar, equipa com ferramentas para a edificação dos muros e também com armas para a peleja. Coloca guardas nas portas da cidade enquanto a construção continua.
A preparação e incentivo funciona ao ponto que em apenas 52 dias os muros estão reedificados e a cidade novamente protegida.
E você pergunta: O que aconteceu a Sambalate, Tobias e os outros opositores?
Eles mudaram novamente sua estratégia de oposição. Vendo que os muros estavam edificados (faltavam ainda colocar as portas), chamaram Neemias para se juntar a eles para conversar. Queriam distrair Neemias fazendo desviá-lo de seu foco. Disperso e sem um alvo seus sonhos facilmente se perdem. Enquanto a oposição tem “cara” de oposição é fácil identificá-la, não é? No entanto existe a terceira oposição, que se disfarça de posição e pode facilmente enganar. É como a maçã oferecida à Branca de Neve dos contos fantásticos. Linda por fora, mas por dentro está contaminada com veneno mortal.
Desperte o sonho que um dia te impulsionou, que fez com que você saltasse de alegria e visse possibilidade de vencer na vida.
Sempre existirá oposição, porém haverá sempre a possibilidade de vencer como foi com Neemias.
Para isso faça como esse estadista. Ore, jejue, peça a ajuda de Deus e planeje. Vença as palavras de afrontas, vença os desafios no âmbito da ação e nunca perca o alvo. Oposição será sempre oposição mesmo que se disfarce.
Ouça a mensagem que foi enviada por Neemias aos seus opositores: “Faço uma grande obra, de modo que não poderei descer; por que cessaria esta obra, enquanto eu a deixasse, e fosse ter convosco?”.
Tudo é possível ao que crê. Em Cristo podemos enfrentar todas as coisas. Nele somos mais que vencedores.

Comentários

Anônimo disse…
Linda msg é essa de neemias...devemos crer em deus e nos sonhos que ele tem colocado nos nossos corações.Pois com cristo é vencer ou vencer!Um grande abraço pra você Daphnne,e fica com deus e boa semana.
LORRAINE
Josilene disse…
Quanto encorajamento há nesta reflexão!
Por mais que façamos inúmeras tentativas de esquecer essa questão...a oposição ainda existe! Nada melhor do que encontrarmos motivos dia após dia para continuarmos a lutar, sempre observando o nosso alvo/sonho e não desistindo dele jamais.

Abraços

Postagens mais visitadas deste blog

O que aprendo com a gazela?

Convidada para pregar no culto de encerramento das atividades (2013) do grupo Dorcas (grupo de mulheres da AIDB-Uberlândia), me senti motivada a estudar a história desta personagem bíblica que inspirou o nome do grupo. Quem foi Dorcas? O que seu nome significa? Quais seus valores? Porque sua história motiva outras mulheres que trabalham na obra do Senhor?
O nome apresentado na história bíblica é Tabita e sua história é apresentada no contexto de sua morte. Estranho, não?
A narrativa se encontra no livro de Atos, cap.9 à partir do verso 36. E assim começa a descrição dos fatos: “E havia em Jope uma discípula chamada Tabita, que traduzido se diz Dorcas. Esta estava cheia de boas obras e esmolas que fazia. E aconteceu naqueles dias que, enfermando ela, morreu; e, tendo-a lavado, a depositaram num quarto alto”.
Para um “leitor dinâmico” estes dois versos resume toda a história. A mulher existiu, era uma mulher de boas obras, ficou doente e morreu (ponto!). Porém estes dois versos mostram ape…

Encontre a resposta!

Palavras e imagens sempre foram objetos da minha curiosidade. Talvez esta seja a razão porque gosto de fazer palavras cruzadas, montar quebra-cabeça e resolver exercícios de lógica.  Recentemente me vi num entrave com um exercício de lógica. Quatro imagens propunham uma palavra com seis letras. A primeira imagem era de um ovo, a segunda de um bolo de aniversário, a terceira de um cachorro e a última de uma prateleira de sapatos. Fiquei por muito tempo tentando achar a lógica daquele exercício. O que tem em comum um ovo, um bolo, um cachorro e sapatos?  Tentei várias palavras e nada. Deixei o exercício de lado por algumas vezes na esperança de voltar com uma solução. ‘Quebrei a cabeça’ com aquele enigma. Estava procurando uma ligação das imagens até perceber que a lógica estava na cor e não nas imagens em si. Mudei o foco para a cor e facilmente preenchi os espaços com as letras. Interessante como fixamos os olhos no problema e deixamos de perceber a solução bem diante dos nossos olhos. Nã…

Falando sobre "Lagar"

O que Gideão fazia no lagar? Se sua resposta foi diferente de "malhando trigo" acho que não está familiarizado com a história deste homem, pois, era exatamente isso que ele estava fazendo. Mas... para que serve um lagar? Afinal de contas... onde é que se malha o trigo? Bem, não me incomodo se essas perguntas nunca lhe passaram pela cabeça. Porém, desde minha última postagem no blog tenho meditado sobre essa passagem bíblica. O lugar correto para se malhar trigo chama-se Eira que segundo o dicionário quer dizer: extensão de terreno limpo e batido, ou lajeado, onde se secam, malham, trilham e limpam cereais e legumes; Sabe porque Gideão preferiu malhar o trigo num lagar? Ele não estava disposto a perder o seu sustento para os Midianitas. Por algum tempo os midianitas consumiam todo o alimento produzido pelos israelitas. Não somente as suas plantações eram destruídas mas também o seu rebanho. Muito bem, vamos voltar ao lagar... Segundo o dicionário lagar é: tanque onde se espremem ou p…