terça-feira, 29 de julho de 2014

Ainda que...

Desafios...
Quem não os enfrenta?
Talvez o maior desafio seja ter a hombridade para cantar a canção:
“Te louvarei, não importam as circunstâncias, adorarei”
É orar como Habacuque:
“Porque ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; ainda que decepcione o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja gado; Todavia eu me alegrarei no Senhor; exultarei no Deus da minha salvação”. Habacuque 3:17-18
Ou como Jó:
Ainda que ele me mate, nele esperarei; contudo os meus caminhos defenderei diante dele”. Jó 13:15
Difícil... Mas, não impossível! 
Abraão deu o exemplo. Creu contra a esperança (Rm 4:18)!
Ele foi mais do que isto: não enfraqueceu na fé (Rm 4:19), foi fortalecido dando glória a Deus (Rm 4:20).
Desafios... Eles sempre existirão. Porém, eles não podem abafar as letras da canção:
“Te louvarei, não importam as circunstâncias, adorarei” 
Eu quero permanecer cantando como Habacuque, Jó ou Abraão, porque nosso Deus é digno de receber louvor, sempre!

Nenhum comentário: