Pular para o conteúdo principal

Reflexão

Ontem quando me deitei para dormir, ok já era hoje, fiquei pensando em José. 
Meu Deus do céu, eu não consigo entender como este homem conseguiu vencer os desafios da vida.
Já escrevi, preguei e palestrei sobre ele muitas vezes. Eu imagino como foi, mas, e na prática? Como foi viver tudo aquilo?
Primeiro ser lançado no poço por seus irmãos. Como ver os de seu sangue lhe tratar com total desprezo e frieza? Como ver diante de seus olhos a sede por sua morte?
Depois ser vendido como escravo. Ser levado para uma terra estranha...
O que me surpreende é que por onde José passava, em meio a sua tribulação, prosperava em tudo que realizava.
O Senhor era com ele, ok! Isto é o suficiente para compreender sua prosperidade. É verdade, mas...
Eu penso comigo, como pode alguém ser próspero vivendo em dias de aflição? Como? Como José conseguiu manter seu coração em paz e se dispor a realizar TUDO dando o seu melhor?
A aflição e até mesmo a esperança demorada (Pv 13:12) entristece o coração. 
O poço, a escravidão, a prisão e então o governo... E em tudo que fez, José prosperou. Passado os anos de espera pela promessa, a aflição, a decepção...
A bíblia menciona que José neste processo chegou a esquecer dos sonhos que havia sonhado. (Ge 42:9) Mesmo assim, José foi próspero.
Hoje se fala muito do “evangelho da prosperidade”. Igrejas que tomando ocasião do evangelho pregam um enriquecimento financeiro.
Prosperidade não é apenas bem aventurança financeira, mas tudo que se têm bom êxito. 
Desta maneira, posso entender que José era feliz na saúde, na sua vida social, na sua atividade profissional...  Até que veio o cumprimento da promessa de Deus sobre sua vida e sabemos aonde ele chegou.
O tempo é um grande fator de prova. Enquanto pensava em José, com a cabeça recostada no travesseiro, pensava em como eu posso aprender com José. É uma lição difícil, desafiadora até demais. Porém, ele conseguiu e deixou seu exemplo.
Como? Como? Como!!!! O Senhor estava com ele.
Eu sei que o Senhor está comigo. Sou inteiramente dependente dele! Confio em seu propósito para minha vida! 
Ah sim, se posso afirmar algo com muita convicção é que tenho certeza do seu propósito! Então, que venha a prosperidade sobre mim! Na saúde, na vida social, na profissão, no ministério...
Ok, vou dizer: que venha sobre nós, amém!

Comentários

André Rodrigues disse…
Costumo pensar que, em algum lugar, em algum momento, a resposta das orações existem. Hoje não vejo, hoje não sinto, mas existe... Em algum lugar!
Tenho pensado sobre Moisés. Se me lembro bem, Moisés era 'louco' pela Terra Prometida. Mas o tempo passou e ele observou que melhor é viver com o dono da terra, a possuir a herança terrena e passageira. Não entrou lá, mas foi morar para sempre com o Senhor!

Se eu nunca chegar lá, e não obtiver resposta às minhas orações, ao menos saberei que estarei guardado eternamente pelas mãos do Todo Poderoso.

Abraços,

André Rodrigues.

Postagens mais visitadas deste blog

O que aprendo com a gazela?

Convidada para pregar no culto de encerramento das atividades (2013) do grupo Dorcas (grupo de mulheres da AIDB-Uberlândia), me senti motivada a estudar a história desta personagem bíblica que inspirou o nome do grupo. Quem foi Dorcas? O que seu nome significa? Quais seus valores? Porque sua história motiva outras mulheres que trabalham na obra do Senhor?
O nome apresentado na história bíblica é Tabita e sua história é apresentada no contexto de sua morte. Estranho, não?
A narrativa se encontra no livro de Atos, cap.9 à partir do verso 36. E assim começa a descrição dos fatos: “E havia em Jope uma discípula chamada Tabita, que traduzido se diz Dorcas. Esta estava cheia de boas obras e esmolas que fazia. E aconteceu naqueles dias que, enfermando ela, morreu; e, tendo-a lavado, a depositaram num quarto alto”.
Para um “leitor dinâmico” estes dois versos resume toda a história. A mulher existiu, era uma mulher de boas obras, ficou doente e morreu (ponto!). Porém estes dois versos mostram ape…

Encontre a resposta!

Palavras e imagens sempre foram objetos da minha curiosidade. Talvez esta seja a razão porque gosto de fazer palavras cruzadas, montar quebra-cabeça e resolver exercícios de lógica.  Recentemente me vi num entrave com um exercício de lógica. Quatro imagens propunham uma palavra com seis letras. A primeira imagem era de um ovo, a segunda de um bolo de aniversário, a terceira de um cachorro e a última de uma prateleira de sapatos. Fiquei por muito tempo tentando achar a lógica daquele exercício. O que tem em comum um ovo, um bolo, um cachorro e sapatos?  Tentei várias palavras e nada. Deixei o exercício de lado por algumas vezes na esperança de voltar com uma solução. ‘Quebrei a cabeça’ com aquele enigma. Estava procurando uma ligação das imagens até perceber que a lógica estava na cor e não nas imagens em si. Mudei o foco para a cor e facilmente preenchi os espaços com as letras. Interessante como fixamos os olhos no problema e deixamos de perceber a solução bem diante dos nossos olhos. Nã…

Falando sobre "Lagar"

O que Gideão fazia no lagar? Se sua resposta foi diferente de "malhando trigo" acho que não está familiarizado com a história deste homem, pois, era exatamente isso que ele estava fazendo. Mas... para que serve um lagar? Afinal de contas... onde é que se malha o trigo? Bem, não me incomodo se essas perguntas nunca lhe passaram pela cabeça. Porém, desde minha última postagem no blog tenho meditado sobre essa passagem bíblica. O lugar correto para se malhar trigo chama-se Eira que segundo o dicionário quer dizer: extensão de terreno limpo e batido, ou lajeado, onde se secam, malham, trilham e limpam cereais e legumes; Sabe porque Gideão preferiu malhar o trigo num lagar? Ele não estava disposto a perder o seu sustento para os Midianitas. Por algum tempo os midianitas consumiam todo o alimento produzido pelos israelitas. Não somente as suas plantações eram destruídas mas também o seu rebanho. Muito bem, vamos voltar ao lagar... Segundo o dicionário lagar é: tanque onde se espremem ou p…