Pular para o conteúdo principal

Digno de louvor!

Já participei de muitas reuniões religiosas em várias igrejas do Brasil. Há muitas formas litúrgicas ou maneiras de se conduzir um culto. Na maioria dos casos a música é um importante componente de louvor. 
Com toda a certeza é uma maneira de atrair a atenção de Deus, afinal, Ele habita no meio dos louvores e é digno de louvor.
Ao longo da vida presenciei muitas “lutas espirituais” travadas na área da música em diversas igrejas. É muito perceptível a batalha entre a carne e o espírito, entre o talento e a unção, entre o ego e a humildade, entre o orgulho e a submissão.
É tão fácil perceber quando a música libera o louvor, quando consegue “abrir as portas do céu” e quando se torna um brado de júbilo.
Não poderia deixar de comentar a alegria do meu coração com o louvor da igreja no culto de domingo passado (23/06).
Eu me senti como aquelas mulheres que se juntaram a Miriã ao som do tamborim ao atravessar o mar. (Ex 15:20)
Eu me senti no Vale de Beraca junto com Josafá e seu povo. (2 Cr. 20:26)
Em me senti participante da comitiva de Davi quando a arca da aliança finalmente retornou para Jerusalém. (1Cr. 15:28)
Eu me senti assim, no meio de um grupo de pessoas que colocaram na música toda a sua alegria e gratidão a Deus, que fizeram do som dos instrumentos canal de louvor àquele que guerreia por nós, que se permitiram dançar de alegria diante de um Deus que gosta de louvor. 
Foi como ouvir guerreiros regozijando com a vitória, por uma conquista resultante não da força e estratégias humanas, mas da intervenção divina.
Agradeço a Deus por aquele culto de domingo. 
Que Ele nos ajude a entrar por suas portas com ações de graça e louvor dia após dia, vencendo as batalhas travadas entre a carne e o espírito, e permitindo que Ele peleje por nós enquanto lhes rendemos toda a adoração que lhe é devida.

Comentários

Que benção Daphnne, acredito que no domingo o Senhor decidiu agir de forma especial no meio seu povo :)

Também tivemos um culto sobrenatural em Curitiba, com uma adoração extraordinária durante o Louvor com Cânticos. Seria um dos cultos que você bradaria (do jeito que gosto de te ver e ouvir bradar).

Glória a Deus por estar visitando nossas Igrejas!

Com amor,
Fernanda Lourenço

Postagens mais visitadas deste blog

O que aprendo com a gazela?

Convidada para pregar no culto de encerramento das atividades (2013) do grupo Dorcas (grupo de mulheres da AIDB-Uberlândia), me senti motivada a estudar a história desta personagem bíblica que inspirou o nome do grupo. Quem foi Dorcas? O que seu nome significa? Quais seus valores? Porque sua história motiva outras mulheres que trabalham na obra do Senhor?
O nome apresentado na história bíblica é Tabita e sua história é apresentada no contexto de sua morte. Estranho, não?
A narrativa se encontra no livro de Atos, cap.9 à partir do verso 36. E assim começa a descrição dos fatos: “E havia em Jope uma discípula chamada Tabita, que traduzido se diz Dorcas. Esta estava cheia de boas obras e esmolas que fazia. E aconteceu naqueles dias que, enfermando ela, morreu; e, tendo-a lavado, a depositaram num quarto alto”.
Para um “leitor dinâmico” estes dois versos resume toda a história. A mulher existiu, era uma mulher de boas obras, ficou doente e morreu (ponto!). Porém estes dois versos mostram ape…

Encontre a resposta!

Palavras e imagens sempre foram objetos da minha curiosidade. Talvez esta seja a razão porque gosto de fazer palavras cruzadas, montar quebra-cabeça e resolver exercícios de lógica.  Recentemente me vi num entrave com um exercício de lógica. Quatro imagens propunham uma palavra com seis letras. A primeira imagem era de um ovo, a segunda de um bolo de aniversário, a terceira de um cachorro e a última de uma prateleira de sapatos. Fiquei por muito tempo tentando achar a lógica daquele exercício. O que tem em comum um ovo, um bolo, um cachorro e sapatos?  Tentei várias palavras e nada. Deixei o exercício de lado por algumas vezes na esperança de voltar com uma solução. ‘Quebrei a cabeça’ com aquele enigma. Estava procurando uma ligação das imagens até perceber que a lógica estava na cor e não nas imagens em si. Mudei o foco para a cor e facilmente preenchi os espaços com as letras. Interessante como fixamos os olhos no problema e deixamos de perceber a solução bem diante dos nossos olhos. Nã…

Falando sobre "Lagar"

O que Gideão fazia no lagar? Se sua resposta foi diferente de "malhando trigo" acho que não está familiarizado com a história deste homem, pois, era exatamente isso que ele estava fazendo. Mas... para que serve um lagar? Afinal de contas... onde é que se malha o trigo? Bem, não me incomodo se essas perguntas nunca lhe passaram pela cabeça. Porém, desde minha última postagem no blog tenho meditado sobre essa passagem bíblica. O lugar correto para se malhar trigo chama-se Eira que segundo o dicionário quer dizer: extensão de terreno limpo e batido, ou lajeado, onde se secam, malham, trilham e limpam cereais e legumes; Sabe porque Gideão preferiu malhar o trigo num lagar? Ele não estava disposto a perder o seu sustento para os Midianitas. Por algum tempo os midianitas consumiam todo o alimento produzido pelos israelitas. Não somente as suas plantações eram destruídas mas também o seu rebanho. Muito bem, vamos voltar ao lagar... Segundo o dicionário lagar é: tanque onde se espremem ou p…