quarta-feira, 27 de junho de 2012

Esperança em lugares improváveis

O livro de Oseias é bastante intrigante para mim.
A maneira como Deus age é muito peculiar e o ministério desse profeta muito difícil.
O amor de Deus revelado nesse livro é de igual modo fascinante.
Gostaria de convidá-lo a refletir comigo sobre os versos 14 e 15 do cap. 2.
Está escrito: Portanto, eis que eu a atrairei, e a levarei para o deserto, e lhe falarei ao coração. E lhe darei as suas vinhas dali, e o vale de Acor, por porta de esperança; e ali cantará, como nos dias de sua mocidade, e como no dia em que subiu da terra do Egito.”
No capitulo anterior e primeiro desse livro Deus fala de Israel como sua nação ou sua noiva que havia se prostituído seguindo outros deuses. Ali é montado um cenário de ameças e promessas de perdão para Israel. Até que encontramos esses versos que destaquei.
Deus diz que atrairia Israel para o deserto e lá falaria ao coração de “sua noiva”.
Bem... Essa é a primeira parte que me faz pensar.
Quem é que gosta de ser chamado para o deserto? Lugar árido e despovoado, de vegetação pobre, adaptado à escassez de chuva. Lugar solitário. Lugar que passou longe da zona de conforto. Sem o barulho das grandes cidades, sem interferências tecnológicas. Sem sinal de telefone. Sem sinal para GPS... “Nenhuma conexão com o mundo”.
Mas lá naquele lugar Israel ouviria a voz de Deus. No coração se ouviria a voz que lhe falaria com carinho...
Depois dessa observação vou para a segunda parte que me atrai.
Deus promete dar a Israel o Vale de Acor por porta de esperança.
Acor significa problema; dificuldade. Esse foi o cenário onde aconteceu o pecado de Acã. (Josué 7.26).
Com o pé no chão e pela perspectiva atual o que poderíamos chamar de porta de esperança? Alguns vão se lembrar de um programa televisivo... Não! Esqueça!
Vamos simplificar. Traga para essa reflexão o Vale de problemas que você vive. Aquelas dificuldades que minam suas esperanças.
Nesse cenário é que se abrirá uma porta de esperança.
Por que Deus não escolheu outro lugar? Eu não sei. O que eu sei é que num lugar improvável Deus pode chamar a esperança.
De situações improváveis Ele pode fazer coisas maravilhosas. Ele pode!
Você se sente no deserto? Está frio demais? Está solitário demais?
Ouça a voz de Deus sussurrando no seu coração...
Está num vale profundo demais? As dificuldades têm assolado seus dias?
Convide Deus para dar uma volta com você. Deixe-o guiar seus passos. Ele sabe o caminho, ele te abrirá uma porta de esperança.
Só não queira continuar sozinho. Só não queira fazer barulho que o impeça de ouvi-lo. Só não queira traçar sua própria rota. Clame por Deus e ele te ouvirá.

3 comentários:

Miriam disse...

Muito boa essa reflexão! Continuo sendo sua fâ, suas palavras são muito sábias e edificantes. Não quero ir ao deserto, mas quero ouvir Deus, quero ser guiada por Ele. Se é no deserto que Ele me espera então é para lá que eu vou! Me lembrei do velho hino: " mais perto quero estar, meu Deus de ti, ainda que seja a dor que me una a ti..." Ai, ai, ai, que dilema não gosto de sofrer, mas quero estar onde eu esteja pertinho de Jesus. Te amo!!

Anônimo disse...

E verdade daphenne,ainda bem que ''ha esperança em lugares improváveis'', pois eu ainda continuo esperando e acreditando mesmo olhando em volta, e nada vendo firme e concreto pra sustentar meus sonhos ,mais sigo crendo no poder de DEUS sobre a minha vida , sei que ele vai agir..não sei quando...não sei como..só sei que de alguma forma ele ja esta trabalhando ao meu favor nos momentos improvavéis, por isso tenho nele toda a minha esperança. saudades!!!!! liliane de uberlandia.

Débora Polycarpo disse...

Ai Daphnne, ai!!!!Com certeza o deserto não é o melhor lugar para estarmos. Não há esperança de que lá não vamos sofrer. Mas enfim, se é lá que tudo pode acontecer. Sujeitemo-nos ao deserto. Bjs