Pular para o conteúdo principal

My Testimony

Naquela tarde, assentada na calçada da minha casa, escrevia uma das primeiras crônicas de muitas que viria a escrever. Algum tempo depois daquela inspiração queimei o papel onde havia escrito aquela crônica, mas suas palavras nunca saíram do meu coração. Troquei as lágrimas por palavras. A ilusão por determinação e a partir dali iniciei uma nova jornada na fé, na maturidade, no conhecimento, nos relacionamentos... Eu havia aprendido que castelos de areia se desfazem e que se quisesse construir alguma coisa na vida deveria fazê-lo sobre uma base bem firme.
Dediquei-me ao estudo, passei muito tempo exercitando minha memória para conseguir uma vaga numa universidade. Consegui. Procurei com zelo exercer uma boa liderança na igreja. Por muitos anos compartilhei meu tempo e aprendizado com jovens de minha idade e mais novos que eu. Vi muitos deles virando as costas preferindo se aventurarem em seus castelos de areia, mas não todos. Graças a Deus!
Agora, sigo em direção a outra fase na vida. Tive que tomar uma difícil decisão, a de mudar de cidade deixando para trás meus pais, irmãos, cunhadas, sobrinhos, igreja, convívio social a fim de me aperfeiçoar na profissão que decidi seguir, experimentar uma nova jornada. Certamente não é fácil.
Cheguei a meu destino e aqui estou escrevendo. Ainda escrevendo... Aprendi que compartilhar minhas palavras é uma maneira de exercitar um talento, ajudar a outros e mesmo que alguns não concordem ser um instrumento de Deus para edificação de vidas.
Faltando apenas uma semana para o inicio de minhas aulas em uma faculdade recebi a notícia que o curso havia sido cancelado por falta de quorum. Meus pais haviam acabado de retornar para minha cidade. E agora? Ficar? Voltar?
Bem, esse não é um castelinho construído na areia destruído pelas ondas do mar. Quando uma porta se fecha em Cristo há possibilidade de outra porta se abrir. Então, posso me alegrar por em pouco tempo ter resolvido a questão. Consegui me inscrever em outro curso numa faculdade que goza de prestígio nacional num curso mais “em conta” e com uma proposta mais interessante.
A moral da história é que enquanto permanecermos frustrados com os sonhos desmoronados deixaremos passar oportunidades de crescermos e de realizarmos obras maiores. Precisamos sair do lugar que limita a nossa visão ou em outras palavras, nossa zona de conforto; dar um passo de fé e deixar Deus nos guiar ao seu intento original.
Quero com essas palavras encorajá-lo a se levantar, sacudir o pó do desanimo e frustração. Afirmar sua fé em Deus. Chamar à lembrança seus sonhos. Crescer na graça e conhecimento.
Por fim, deixo para você as palavras que têm ecoado em minha vida nesse ano. Estão escritas em Isaias cap. 54 verso 2 que diz: “Amplia o lugar da tua tenda, e estendam-se as cortinas das tuas habitações; não o impeças; alonga as tuas cordas, e fixa bem as tuas estacas.”

Comentários

Anônimo disse…
È isso ai minha querida pisa no chão com coragem e com poder.
Um final de semana muito especial para vc, de seus amigos de sempre,Pr. Anísio e Ev. Dalva.
Que saudade!!! Você realmente faz falta por aqui... Mas é bom saber que Deus tem cuidado de você, de seus projetos e sonhos... Sabe, Deus sempre nos surpreende! Que bom é servir um Deus assim! Obrigada por você não desistir... continue escrevendo e tocando nossos corações com palavras de sabedoria!

Postagens mais visitadas deste blog

O que aprendo com a gazela?

Convidada para pregar no culto de encerramento das atividades (2013) do grupo Dorcas (grupo de mulheres da AIDB-Uberlândia), me senti motivada a estudar a história desta personagem bíblica que inspirou o nome do grupo. Quem foi Dorcas? O que seu nome significa? Quais seus valores? Porque sua história motiva outras mulheres que trabalham na obra do Senhor?
O nome apresentado na história bíblica é Tabita e sua história é apresentada no contexto de sua morte. Estranho, não?
A narrativa se encontra no livro de Atos, cap.9 à partir do verso 36. E assim começa a descrição dos fatos: “E havia em Jope uma discípula chamada Tabita, que traduzido se diz Dorcas. Esta estava cheia de boas obras e esmolas que fazia. E aconteceu naqueles dias que, enfermando ela, morreu; e, tendo-a lavado, a depositaram num quarto alto”.
Para um “leitor dinâmico” estes dois versos resume toda a história. A mulher existiu, era uma mulher de boas obras, ficou doente e morreu (ponto!). Porém estes dois versos mostram ape…

Encontre a resposta!

Palavras e imagens sempre foram objetos da minha curiosidade. Talvez esta seja a razão porque gosto de fazer palavras cruzadas, montar quebra-cabeça e resolver exercícios de lógica.  Recentemente me vi num entrave com um exercício de lógica. Quatro imagens propunham uma palavra com seis letras. A primeira imagem era de um ovo, a segunda de um bolo de aniversário, a terceira de um cachorro e a última de uma prateleira de sapatos. Fiquei por muito tempo tentando achar a lógica daquele exercício. O que tem em comum um ovo, um bolo, um cachorro e sapatos?  Tentei várias palavras e nada. Deixei o exercício de lado por algumas vezes na esperança de voltar com uma solução. ‘Quebrei a cabeça’ com aquele enigma. Estava procurando uma ligação das imagens até perceber que a lógica estava na cor e não nas imagens em si. Mudei o foco para a cor e facilmente preenchi os espaços com as letras. Interessante como fixamos os olhos no problema e deixamos de perceber a solução bem diante dos nossos olhos. Nã…

Falando sobre "Lagar"

O que Gideão fazia no lagar? Se sua resposta foi diferente de "malhando trigo" acho que não está familiarizado com a história deste homem, pois, era exatamente isso que ele estava fazendo. Mas... para que serve um lagar? Afinal de contas... onde é que se malha o trigo? Bem, não me incomodo se essas perguntas nunca lhe passaram pela cabeça. Porém, desde minha última postagem no blog tenho meditado sobre essa passagem bíblica. O lugar correto para se malhar trigo chama-se Eira que segundo o dicionário quer dizer: extensão de terreno limpo e batido, ou lajeado, onde se secam, malham, trilham e limpam cereais e legumes; Sabe porque Gideão preferiu malhar o trigo num lagar? Ele não estava disposto a perder o seu sustento para os Midianitas. Por algum tempo os midianitas consumiam todo o alimento produzido pelos israelitas. Não somente as suas plantações eram destruídas mas também o seu rebanho. Muito bem, vamos voltar ao lagar... Segundo o dicionário lagar é: tanque onde se espremem ou p…