quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Sonho compartilhado - Sonhadores agregados

Quando olhamos para Brasília seja por fotos ou “in loco” contemplamos a realização de um sonho. Aprecio principalmente o chamado Plano Piloto. O planejamento e mobiliários urbanos, edificações muito bem elaboradas e executadas, jardins e outras particularidades do Distrito Federal são impressionantes aos meus olhos. Verdadeira vitrine através da qual podemos ver o sonho que por tanto tempo habitou na mente e coração de um homem chamado Juscelino Kubitschek.
Tenho pensado e compartilhado muito sobre esse homem especificamente sobre o seu sonho que se tornou também de uma nação. Ele não foi o primeiro homem a contagiar outros com o desejo de seu coração. Poderia citar alguns exemplos aqui, porém vou ater-me a ele por ter sido um brasileiro (um mineiro – uau! Tenho que interromper aqui para dizer que Minas tem sido um celeiro de grandes personalidades e isso é uma honra para mim. Um exemplo tão claro que eu posso fazer diferença no âmbito social, político e econômico e se pode ser assim nesses termos, também pode ser no âmbito espiritual. Você também pode. Qualquer um de nós pode. Independente de naturalidade ou raça... )
Juscelino pôs em prática o que a constituição brasileira previa há tanto tempo. Algo que ninguém havia tomado a iniciativa de fazer e nem arriscado, ele apregoou que faria. Num discurso político foi desafiado a atender essa previsão da constituição e afirmou que A Capital da União seria transferida para o planalto central do país.
Foram agregados muitos profissionais nessa grande obra; dois  deles conseguimos citar de cor – Lúcio Costa e Oscar Niemeyer. Se eles não tivessem sonhado junto com JK talvez esse projeto de lei teria sido novamente adiado e possivelmente ainda esperaríamos por um Distrito Federal.
Os candangos (mais de 30 mil operários que trabalharam ativamente nesse projeto) foram os primeiros a serem contagiados por JK e seu sonho. Acreditaram que daquele grande projeto poderia vir outras realizações.
Brasília nasceu para abrigar sonhos de uma nação inteira. Sonho de casa própria, de melhoria na qualidade de vida, de desenvolvimento econômico e político. Gente de todos os estados apostou suas fichas porque um homem teve a atitude de colocar um sonho em ação.
“Todo ser humano é movido por sonho”, já dizia um escritor confirmando teorias da psicologia que estuda o comportamento da mente humana. Realização pessoal é uma necessidade básica do ser humano.
Portanto maior que Brasília, o Distrito Federal do Brasil, é o sonho de JK que foi compartilhado e que agregou sonhadores.
Não deixe adormecer os seus sonhos. Não mate os sonhos do seu próximo. Sejamos  semeadores de esperança, confiança e ousadia e realizemos grandes projetos que beneficiarão nossa nação.

Nenhum comentário: